Às vezes reagimos de forma contraproducente para perceber que investimos nossas boas ações em pessoas que, de acordo com nossos critérios, não mereciam isso. Podemos nos sentir enganados ou simplesmente sentir que dedicamos à pessoa errada uma parte de nós que ele não precisava receber.

No entanto, uma das coisas que distingue as pessoas boas é justamente a capacidade de dar o melhor, mesmo sem pensar se a outra pessoa é digna ou não da ação, basta saber que o que fazemos está de acordo com nossos princípios, com nossos valores, com nossa essência para não sentir nenhum tipo de remorso pelo positivo ou pelo bem de alguém, apenas fazemos.

Não devemos nos deixar ser dominados pelo ego, e com ele concordar com as atitudes revanchistas, a necessidade de recuperar o que temos dado, a pouca capacidade de entender que estamos todos em um processo de crescimento e provavelmente o julgamento que emitimos sobre alguém pode ser injusto. Sem contar a sensação de que boas ações são desperdiçadas naqueles que não valem a pena.

Muitas vezes, aquelas pessoas que consideramos não valer, são aquelas que exigem boas ações dos outros, porque podem ser apenas as falhas que elas sustentaram durante suas vidas, o que as torna o que são.

Não perca tempo julgando ou criticando, todo mundo merece nossas boas ações, é justamente a maneira pela qual devemos nos comportar em relação a todos. Cada um decide o que quer ser e fazer, o que quer projetar, e o fato de alguém ser diferente do que esperamos ou desejamos, não pode ser um argumento para agir de maneira diferente daquela que corresponde à nossa natureza.

Quando dizemos que alguém traz o melhor ou o pior em nós, devemos rever em profundidade o que é que surgiu de dentro, porque é parte da nossa natureza e muitas vezes é através dos outros que chegamos a conhecer. Se espremermos um limão, algo diferente do suco de limão não pode sair, porque não há nada diferente por dentro.

Os outros não devem condicionar nossas atitudes ou nossas intenções, o que eles fazem ou não fazem será sua responsabilidade, nós decidiremos como suas ações nos afetam. Mas cada um de nós deve ser capaz de dar o que o faz se sentir bem e estar em sintonia com quem realmente somos. As ações corretas serão aquelas que falam de nós, pelo que fazemos, não pela pessoa que as recebe.

Então, se preocupe em dar-lhe o melhor e você vai deixar vestígios na vida daqueles que tocam sua vida, traços que fazem mesmo aqueles que pensam em um determinado momento sorrir, que não merecem isso.

Por: Sara Espejo – Rincón del Tibet, tradução

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

  1. Você acerta sempre quando faz as coisas certas, ainda que para pessoas erradas que, um dia farão as coisas certas, porque aprenderam com você a não serem pessoas erradas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here