Em um episódio do videocast “Mil e Uma Tretas”, Fernanda Paes Leme contou que sofreu um aborto espontâneo no fim do ano passado. O programa é apresentado por Thaila Ayala e Julia Faria e recebeu a atriz, que falou pela primeira vez sobre o assunto.

Leme contou que, por se tratar de um assunto muit íntimo, tinha receio de falar publicamente. “É difícil a gente falar sobre determinados assuntos. Se é difícil passar, falar é mais ainda”, disse. “Eu vou chorar com certeza mais.”

Poucas pessoas do convívio da atriz sabiam do acontecido, e por isso, falar sobre o assunto publicamente foi bem importante para ela.

“Quando a Julia [Faria] me chamou para vir aqui, eu pensei p…: ‘Será que vou falar sobre isso?’. Porque é uma coisa que está dentro de mim e para pouquíssimas pessoas que convivem comigo”.

Além disso, falar sobre o assunto pode ajudar e conscientizar mulheres que passam pelo mesmo. “É muito importante as pessoas saberem que tem várias histórias sobre isso, sobre esse tema, que ainda é tão difícil de você falar”.

Fernanda também contou como enfrentou a perda. “O aborto é uma perda invisível. É um luto que você vive, de alguém que você nunca viu a cara. Nem uma peça, foto, nada, para você lamentar, o que acontece quando você perde alguém.”

A gravidez foi inesperada, depois de alguns problemas que a atriz teve com seu método contraceptivo.

“Eu não estava tentando, não estava querendo naquele momento. Comigo o que aconteceu foi que eu tive muitos problemas com o DIU de cobre, que me dava muitas cólicas”.

“Quando eu tirei o DIU, no mês seguinte, a menstruação não veio. Aí, meu peito, já pesado… eu vivendo alguns sintomas de gravidez, sem saber que aquilo estava acontecendo. Decidi fazer um teste”.

“Meu irmão estava em Salvador. Eu não queria falar com o Vitor, meu parceiro, e pedi para o meu irmão comprar o teste. Aí veio os ‘dois tracinhos’ e eu fiquei em choque”, relatou.

Apenas uma semana depois de descobrir a gestação, Fernanda apresentou um sangramento, fez exames e descobriu o aborto.

“A primeira pessoa a descobrir é você, quem tem que contar para as pessoas é você”, disse. “Você tem que administrar a sua dor e a do outro. As pessoas chegam e falam para você que é normal, mas não é.”

“Na verdade você só precisa de apoio e um abraço. Eu fiquei muito mal, porque vi ali que eu queria ser mãe, porque antes eu achava que não queria. Eu descobri que eu queria e foi uma perda muito solitária”, desabafou.

Com informações de Catraca Livre

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui