Susan Gervaise é uma mulher de 57 anos, cujo nome de nascimento é Susan Preece. Ela tinha apenas 4 anos quando foi separada de sua família biológica na cidade de Pontefract em Yorkshire, na Inglaterra, no ano de 1969.

Tudo começou quando um casal de viajantes da Escócia perguntou à mãe da menina se a pequena poderia acompanhá-los em uma viagem para um parque temático da Disney, prometendo devolvê-la à Inglaterra.

Foto: Arquivo Pessoal Susan Gervaise

A mãe aceitou a proposta, sem pensar nos riscos de uma decisão do tipo. Além disso, forneceu-lhes uma cópia da certidão de nascimento da menina, para que eles pudessem incluí-la no passaporte. Na época, o documento e a autorização dos pais eram o suficiente para que as crianças viajassem internacionalmente.

No entanto, o retorno para casa nunca aconteceu. Os viajantes levaram Susan para o Canadá, depois para a Austrália e, por fim, para a Nova Zelândia, criando-a como sua própria filha.

“Eu acho que eles queriam uma menina. Eles perguntaram à minha mãe se eles poderiam me levar para a Disney e ela deu a eles minha certidão de nascimento para que eles pudessem me colocar em seu passaporte”. Dessa forma, Susan cresceu muito longe de sua família biológica e só aos 16 anos soube que havia sido roubada.

Foto: Arquivo Pessoal Susan Gervaise

Seus pais de criação sempre lhe disseram que ela tinha sido adotada, mas Susan acabou descobrindo a verdade quando precisou de um passaporte para ir da Nova Zelândia para a Austrália, onde encontrou um emprego.

“Me candidatei, mas precisava da assinatura da minha mãe ou do meu pai; Foi quando meu pai me disse que não me adotaram, que me roubaram”, conta. “Sempre fui feliz. Viajei o mundo”, relata ela sobre a vida com a família escocesa.

Foto: Arquivo Pessoal Susan Gervaise

Susan perdeu sua mãe de criação aos 10 anos e seu pai, aos 21, mas continuou sua vida na Austrália. Lá ela se casou, teve 3 filhos e 4 netos. Durante sua vida adulta, buscava mais informações sobre sua família biológica.

“Lembro que alguém me perguntou se eu era adotada e esse foi um momento de luz para mim”, disse ela ao The Wakefield Express. Com a ajuda de seu marido, ela localizou a família facilmente através do Facebook.

Foi assim que ela marcou o reencontro com 4 de seus 6 irmãos em West Yorkshire, na Inglaterra, 53 anos após o roubo. “Quando falei com minha família, eles estavam chorando histericamente porque eu estava viva”, conta.

Foto: Arquivo Pessoal Susan Gervaise

A reunião coincidiu com seu 57º aniversário. Sua sobrinha, Emma McFadyen, contou que sua mãe biológica a procurou por anos, mas não teve sucesso. Susan tinha até um túmulo no cemitério da família.

Foto: Arquivo Pessoal Susan Gervaise

“Nunca pensamos que isso fosse acontecer. Tem sido incrível, especialmente para minha mãe. Ela tem Parkinson e demência, então é incrível que ela tenha se reunido com sua irmã antes de partir”, disse Emma.

“Isso é uma mensagem de inspiração para quem perdeu alguém. Milagres acontecem! Há esperança!”, finalizou Susan.

Com informações de UPSOCL

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui