Esses dias, despretensiosamente assisti “Antes do Adeus” (“Before We Go”), e me surpreendi demais com o longa de 2014 que é quase uma versão moderna do clássico “Antes do Amanhecer” . O filme é leve e doce, repleto de diálogos rápidos e cheios de sentido, capazes de nos transportar para situações corriqueiras de nosso próprio universo, dando um significado diferente (ou pelo menos mais reconfortante) aos encontros que tivemos pela vida – tanto aqueles que permaneceram quanto os que tiveram breve passagem mas acabaram modificando tudo, injetando ânimo novo em nossa existência. E descobrimos que a importância de alguém não é definida pelo tempo que ela permaneceu em nossas vidas, e sim pela forma como ela nos transformou. Não se trata de duração, e sim de sutileza. A linha tênue entre presença física e habilidade de tocar uma alma.

Alguns encontros têm curta duração, mas deixam a percepção de que “estavam escritos para acontecer”. São aqueles que iremos nos lembrar para sempre, não importa quanto tempo passe. E que, de alguma forma, despertaram uma versão nossa que desconhecíamos mas que tinha que vir à tona para amadurecermos, para sermos mais autoconfiantes, para descobrirmos que nosso coração é capaz de amar de diversas formas.

Uma das frases mais marcantes do filme é: “Você irá conhecer alguém. Você saberá na hora que ela é problema. No fim da noite você vai querer falar algumas coisas, mas não diga. Não estrague tudo. Apenas beije-a. Deseje-lhe boa sorte. Agradeça-a. Por te mostrar que você pode amar mais do que uma pessoa nessa vida”.

Acho lindo esse trecho principalmente por causa da ultima parte. Às vezes ficamos tão tristes e frustrados por uma relação ter acabado, que deixamos de prestar atenção no quanto ela foi importante para nós, ainda que tenha chegado ao fim. E muitas vezes, em vez de desejarmos sorte e sermos gratos a tudo o que ela nos proporcionou, preferimos focar somente na dor e no rancor. Faça um exercício mental e pense em quem você era antes dessa pessoa ter entrado em sua vida, e em quem você se tornou. Que aprendizados você teve, que lições irão permanecer para sempre?

Ninguém entrará em sua vida por acaso. Ninguém sairá dela se o tempo de vocês não tiver se esgotado. Ninguém retornará se não houver algo pendente a resolver. Ninguém permanecerá se não tiver um caminho comum para percorrer.

Há muito desencontro pela vida e muita falta de entendimento acerca desses desencontros. Há também mais coisas entre o céu e a Terra do que somos capazes de compreender, e por isso deveríamos apenas fechar os olhos e confiar. Deixar ir. E, se um dia tiver que retornar, simplesmente aceitar que nem tudo tem explicação lógica, a maioria das coisas não tem.

O final do filme é surpreendente, e pode deixar alguns fãs de romance frustrados. Porém, o que é a vida senão um grande ponto de interrogação? Apesar de nossa mania de controle, não temos a mínima ideia do que virá no dia seguinte, na próxima página, na dobra de esquina, na escolha despretensiosa, no aniversário adjacente. A única coisa que podemos realmente controlar é o momento presente. E por isso é primordial reconhecer a felicidade hoje, e suga-la da melhor maneira possível. Pois dores passam, e momentos não voltam.

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Fabíola Simões é dentista, mãe, influenciadora digital, youtuber e escritora – não necessariamente nessa ordem. Tem 4 livros publicados; um canal no Youtube onde dá dicas de filmes, séries e livros; e esse site, onde, juntamente com outros colunistas, publica textos semanalmente. Casada e mãe de um adolescente, trabalha há mais de 20 anos como Endodontista num Centro de Saúde em Campinas e, nas horas vagas, gosta de maratonar séries (Sex and the City, Gilmore Girls e The Office estão entre suas preferidas); beber vinho tinto; ler um bom livro e estar entre as pessoas que ama.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui