Hoje o Jair (Elio) passou por mim vendendo bolo de pote.

– Quanto custa cada?
– 5 reais, moça e tem de vários sabores.
– Está bem, quero um.
– Obrigado moça, que Deus lhe devolva em dobro.
– Obrigada Jair (Elio), ótimo trabalho para você.
– Aff, não curto esses “bolo de pote” – comentou um colega.
– Eu também não – respondi.
– Ué, então por que você comprou? Esses 1, 2, 5 reais que você gasta por dia comprando essas coisas na rua você estaria melhor investindo na bolsa – brincou.
Então… não. Mas nem todo mundo está pronto para essa conversa.
Quando eu compro o bolo de pote/ biscoito / bombom / pão das pessoas na rua, eu penso que estou investindo em sonhos. Não tem retorno financeiro, mas é sempre uma alegria.
Se você nunca precisou trabalhar vendendo nada, faça esse esforço mental: um sol de 45º, andando o dia todo e só recebendo “não”. Desanimador, né?
Agora imagine quando uma venda é realizada, quando um cliente aceita comprar o seu produto. É um combustível. Você vai ficar até vender todos, vai fazer no outro dia e vai tentando ser cada vez melhor.
Com o dinheiro das vendas, o Jair sustenta a família, gasta no mercado do seu Zé, faz a economia girar e ainda segue acreditando no próprio potencial.
Sempre que possível, invista em sonhos, que a vida devolve em dobro.

Texto encontrado em Voz da Vila Kennedy

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui