Um dia você vai entender que nem sempre a gente fica por amor, e poucas vezes a gente vai embora pela falta dele. E você vai entender que estar perto não significa estar junto, enquanto estar longe não quer dizer que renunciou.

E você vai compreender a sutil diferença entre desistir daquilo que se quer e desistir daquilo que dói.

Um dia você aprende que muitas vezes a gente tem que se afastar daquilo que ama, e que, mesmo doendo, essa pode ser a melhor escolha. Pois o fim antes do fim também é um ato de amor. Um ato que assegura que permanecerá uma lembrança bonita, um quê de não vivido, um resquício de amor próprio e uma declaração de amor à relação.

Às vezes você desiste de uma relação antes dela acabar por completo, não porque não ama mais, mas porque entende que a conexão que um dia existiu merece ser preservada. É uma prova de amor ao relacionamento, impedindo que ele adoeça a ponto de só restarem desgastes e lembranças dolorosas.

Por mais que você goste de estar com alguém, desista de estar com essa pessoa se não existir reciprocidade. Se, de alguma forma, você sentir que sua presença deixou de ser celebrada, e é apenas tolerada. Se, de algum jeito, você perceber que o convívio é uma obrigação, e não uma comemoração.

Você puxa assunto, ele (a) é monossilábico (a)

Você relembra os tempos bons, ele (a) não faz questão

Você quer a presença, pra ele (a) isso não faz diferença

Você se lembra quando ele corria atrás, hoje é tanto faz

Términos são sempre ruins. Mas o que mais dói é aquele que tinha tudo para dar certo, mas não deu. Dói porque havia sentimento, mas faltou comunicação. Havia química, mas a atração foi vencida pela acomodação. Não faltou desejo, mas perdeu-se a conexão. O beijo te derrete, mas as palavras te ferem. O abraço te estremece, mas o silêncio te despedaça. Você ainda ama a pessoa, mas é impossível amar a relação que tem com ela.

Não espere a relação ficar insuportável para ir embora. Saber a hora de se despedir de alguém, reconhecer o momento de sair de cena e ter discernimento para aceitar que o amor não está mais sendo servido demonstra bom senso e elegância. É melhor ser lembrado com saudade do que com desgosto.

Pois como diz minha querida cantora e compositora Maraísa: “Não seja o peso na vida de ninguém. Saber a hora de se despedir de uma relação também é amor”

Obs: A frase título deste texto é de autoria da cantora e compositora Maraísa

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Fabíola Simões é dentista, mãe, influenciadora digital, youtuber e escritora – não necessariamente nessa ordem. Tem 4 livros publicados; um canal no Youtube onde dá dicas de filmes, séries e livros; e esse site, onde, juntamente com outros colunistas, publica textos semanalmente. Casada e mãe de um adolescente, trabalha há mais de 20 anos como Endodontista num Centro de Saúde em Campinas e, nas horas vagas, gosta de maratonar séries (Sex and the City, Gilmore Girls e The Office estão entre suas preferidas); beber vinho tinto; ler um bom livro e estar entre as pessoas que ama.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui