A vira-latinha Zelda assustou sua família quando fugiu de casa e passou 97 dias desaparecida. A peluda voltou para seu abrigo temporário, a casa de uma voluntária que a abrigou quando foi resgatada.

Mas, o mais curioso, além do grande apego da cadelinha por sua salvadora, foi que o caminho até a casa da voluntária é de quase 48 quilômetros.

Foto/ Youtube

A história começou quando Zelda chegou ao abrigo de animais “Wags & Whisker” em Twin Cities, no Texas. O local estava superlotado e, por isso, a voluntária Seneca Krueger, resolveu ser uma tutora temporária do animal.

Zelda ficou cerca de sete meses na casa de Seneca, ainda muito medrosa e assustada. “Ela não abanou o rabo por dois meses e só latiu depois de quatro meses”, contou a jovem.

Krueger já acolheu entre 30 a 40 cães em sua casa e contou que não tratou a cachorrinha de forma diferente, mas sempre com muito carinho e dando a atenção necessária. Mas, também acabou se apegando.

Foto/ Reprodução

“Dos cães tutelados, o que acontece é que você os ama e depois os deixa ir, acolhendo o próximo para cuidar. Mas com Zelda foi diferente, agi cuidando como demais animais, mas eu a adotei em meu coração. Quando ela se foi, passei três dias chorando. Senti como se tivesse perdido um animal meu”, disse Krueger.

Zelda fugiu de casa dez dias após a adoção e Seneca foi avisada pelos tutores, se juntando imediatamente na busca. “Três vezes por semana eu saía por quatro ou cinco horas. Os dias em que a temperatura estava 30 graus abaixo de zero foram os momentos em que mais me preocupei com ela. Fiquei fora o dia todo tentando encontrá-la para que ela pudesse se aquecer”, disse ela.

A cachorrinha foi localizada 51 dias após o último avistamento, depois que alguém tirou uma foto pela janela de um carro de um animal com as suas características.

Foto/Reprodução

“Acho que coloquei 127 panfletos naquele bairro”, contou a voluntária, que já havia percebido que Zelda estava tentando encontrar o caminho de volta para ela.

“Eu não conseguia ficar parada, caminhava por uma hora e voltava para ver se ela estava em casa e, imediatamente, voltava para a rua por mais uma hora”, disse Krueger.

Foto/Reprodução

A ONG “START for Dogs” montou uma trilha com câmeras de monitoramento, conseguindo captar a imagem de um animal que se parecia muito com Zelda. À noite, armaram uma armadilha ao lado de um prato de comida e ficaram de tocaia. Às 4h30 da manhã, Seneca recebeu uma ligação do grupo com o aviso de que Zelda havia sido encontrada, depois de 97 dias de busca.

A peluda estava mais magra e suja, mas nã tinha ferimentos. Seneca não hesitou em adotar oficialmente a peluda. “Acreditamos que escolhemos os animais, mas realmente são eles que nos escolhem, e acho que foi isso que aconteceu”, diz.

Com informações de ANDA

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui