Essa nova invenção foi feita por um grupo de pesquisadores do Canadá liderados pelo professor José Azaña. Eles publicaram um artigo acadêmico que descreve o processo de criação de um dispositivo que permite a invisibilidade. É isso mesmo! O aparelho é capaz de impedir a reflexão da luz e, com isso, esconde um outro objeto de qualquer cor do espectro visível.

Foto: Reprodução

Essa técnica se difere de outras que vinham sendo testadas em busca da criação de um aparelho de invisibilidade. Até então, utilizava-se a técnica de iluminar um objeto colorido com uma luz de cor oposta dentro do espectro visível e assim era possível disfarçar os objetos, mas eles não ficavam completamente imperceptíveis ao olho humano.

“O problema é que as diferentes cores ou frequências do espectro da luz requerem diferentes intervalos de tempo para atravessar o dispositivo de invisibilidade. Como resultado, a distorção temporal criada em torno do dispositivo revela sua presença, arruinando o efeito de invisibilidade”, revelou o professor Azaña ao El País.

Mas, a solução encontrada pelos cientistas do grupo canadense, baseada no “Efeito Talbot”, faz com que as ondas de luz se propaguem através do objeto sem serem refletidas, em vez de forçá-las a contornar algum elemento.

Foto: Reprodução

Para que isso fosse possível, os cientistas estudaram a propagação das ondas luminosas de cada cor visível e não visível. Com esse conhecimento, eles puderam deslocar primeiro as frequências de luz para outras regiões do espectro que não seriam afetas pela reflexão ou propagação causadas pelo objeto a ser ocultado.

Um exemplo para entendermos melhor como a técnica funciona: um objeto verde é percebido pelo olho humano porque ele é capaz de refletir apenas a luz verde do espectro visível, então os pesquisadores usam o dispositivo para mover a luz verde para outra parte do espectro (a azul, por exemplo) antes que ela atinja o objeto. Dessa forma, quando a luz natural atinge o elemento a ser escondido, ela não consegue ser refletida e “passa direto”.

Até então, o efeito só é possível em apenas uma dimensão. Então, se uma pessoa olhar o objeto camuflado a partir de um ângulo diferente, ela conseguirá perceber a perturbação de luz.

A segunda fase do projeto é buscar esconder os objetos em múltiplas dimensões.

 

Com informações de TecMundo

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui