Françoise Forton lutava pela segunda vez contra o câncer no colo de útero e já estava internada há quatro meses na clínica São Vicente, no Rio de Janeiro. A atriz não resistiu às complicações e faleceu aos 65 anos, neste domingo (16).

Em 1989, durante as gravações da novela ‘Tieta’, a artista descobriu o câncer, mas guardou segredo por dez anos: apenas os médicos e o diretor de TV Paulo Ubiratan sabiam da saúde de Françoise.

© Divulgação, TV Globo

Mas, em 2020, durante o programa Encontro, apresentado por Fátima Bernardes, a atriz falou abertamente sobre a doença e aproveitou a situação para alertar outras mulheres sobre os perigos do câncer de colo de útero.

“Não falava da doença, fiquei dez anos sem falar. Hoje, faço questão de falar, questão de ir a público, poder participar das crianças. Minha vida mudou inteiramente. Eu me reeduquei, mudei a minha alimentação”, contou.

Algum tempo antes, em 2016, Forton já havia falando detalhes sobre seu diagnóstico, em uma publicação do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Segundo a atriz, ela tinha costume de fazer consultas de rotina no ginecologista, mas deixou de fazer o exame Papanicolaou com frequência.

“Eu fazia mais ou menos uma vez por ano, às vezes dava mais espaço. Na verdade, não tinha tanta preocupação com isso, porque nunca senti nada, nem dor, nem nenhum sintoma estranho, nada mesmo. Confesso que dei uma esquecida. Em 1991, eu ia fazer uma novela, mas antes resolvi tirar o DIU [dispositivo intrauterino para evitar a gravidez] e me deu vontade de pedir para fazer um Papanicolaou”, relatou.

Ao receber o resultado do exame, a artista recebeu a notícia do câncer no colo do útero. “Foi um susto, eu não tinha histórico de câncer na família. Fiquei apavorada. A primeira coisa que veio à cabeça foi: ‘Isso mata e eu não quero morrer'”, disse à revista Rede Câncer.

A atriz confidenciou a notícia ao diretor Paulo Ubiratan, para conseguir conciliar o tratamento com as gravações da novela Tieta, em que interpretava a vilã Helena.

Foto: Reprodução

Foram seis meses de sessões de quimioterapia e radioterapia, em que ela não sofreu de queda de cabelos, mas precisou fazer intervenção com césio, o que ela considerava uma das piores lembranças.

Após o tratamento, ela venceu o câncer e, aos 38 anos, precisou retirar o útero, ovários e trompas, como prevenção para reincidência da doença. No pós operatório, Françoise sofreu de anemia. Mesmo livre da doença, a atriz precisou fazer uma reeducação alimentar, mas ainda não queria falar sobre o assunto.

“Queria esquecer tudo aquilo. Foi muito difícil. Não queria falar nem transformar a doença em algo sensacionalista, tipo capa de revista”, confessou.

O que fez com que ela mudasse de ideia e se abrisse para falar do assunto foi a possibilidade de dar visibilidade à prevenção contra a doença para outras pessoas: “Passei a ver muitos amigos que tiveram câncer falando sobre a doença e pensei que isso tem que servir de alerta. O número de casos de câncer feminino vem aumentando, e possível prevenir. (…). Ninguém está livre. Aconteceu comigo, sem eu sentir nada e sem histórico familiar”, ressaltou.

A última novela da atriz foi “Amor Sem Igual”, exibida entre 2019 e 2021, interpretando a dona de cabaré Olympia. A artista estava casada desde outubro de 2014 com o produtor Eduardo Barata e deixa o filho Guilherme Forton Viotti.

Com informações de Yahoo

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui