No passado o sucesso em diversas tarefas era associado apenas ao QI, coeficiente de inteligência, mas desde a década de 1990 a inteligência emocional passou a ser igualmente determinante para o êxito de um indivíduo.

Foi Daniel Goleman o pioneiro do conceito de inteligência emocional, onde ele descreveu que pessoas com essa característica possuíam ferramentas para identificar facilmente as suas emoções e usá-las a seu favor, ao mesmo tempo que também teriam uma maior facilidade de identificar os sentimentos de outros seres, fato considerado determinante em muitas profissões e atividades.

Inteligência emocional na atividade profissional

Durante muitos anos foi dada importância quase exclusiva à inteligência mental, o famoso QI, como o principal fator determinante para o sucesso profissional. Na verdade, um indivíduo com um QI elevado terá desde o início grande facilidade em prosseguir uma carreira acadêmica já que não encontrará pela frente grandes desafios em resolver problemas matemáticos ou dificuldades de interpretação de um texto, por exemplo. No entanto, na transição do mundo universitário para a vida real de trabalho, onde o conhecimento acadêmico se cruza com o social e com a relação pessoal, possuir inteligência emocional é essencial para ser considerado um profissional de sucesso, nomeadamente em posições de chefia onde ser líder é essencial.

Uma pessoa que possui uma inteligência emocional elevada terá um maior conhecimento de si mesma, permitindo ter formas de autocontrole em situações de maior tensão, mas também se destacando pela capacidade em lidar com os sentimentos alheios, algo essencial para conseguir motivar equipes, vender produtos, lidar com a frustração, entre outros desafios profissionais.

Inteligência emocional e entretenimento

Em um mundo cada vez mais tecnológico, e com a globalização da internet, os estímulos ocorrem em abundância e muitas vezes impedem o cérebro de se reprogramar, o que resulta na perda da capacidade de controlar as emoções. Mesmo para quem possui uma elevada inteligência emocional é importante ter momentos de descanso onde o cérebro pode relaxar, promovendo sessões de meditação, técnicas de respiração e pausas na rotina para assim se desligar do ‘modo automático’.

É no encontro do equilíbrio entre rotina e novidade que nossa mente encontra espaço para se reprogramar. Essa harmonia mostra que uma rotina com metas bem estabelecidas é importante para diminuir o estresse, promovendo uma sensação de previsibilidade e segurança ao ser humano, mas que são os momentos de novidade os responsáveis por um aumento da neuro plasticidade onde o cérebro cria conexões e se reorganiza.

A saída da mesmice oferece a possibilidade de uma nova perspectiva sobre algo que antes não conseguíamos enxergar por estar em ‘modo automático’. Dada essa particularidade cerebral, muitos especialistas aconselham ‘dormir sobre o assunto’ quando se lida com um grande problema, dar uma caminhada de modo a libertar a mente, ou procurar formas de diversão para extrair os hormônios do prazer.

Desenvolver a inteligência emocional para o cérebro lidar com os sentimentos é um processo igualmente importante, algo que pode ser trabalhado diretamente com um profissional em terapias especificas, ou indiretamente em esportes como xadrez ou poker em plataformas online como Chess.com e PokerStars, respetivamente, cujo funcionamento envolve estratégias matemáticas, raciocínio lógico e alto controle das emoções.

A inteligência emocional é uma competência que tem a capacidade de ser trabalhada em momentos de entretenimento e pode inclusive melhorar o desempenho do indivíduo nessas formas de entretenimento.

Inteligência emocional e as relações pessoais

Além do trabalho e do entretenimento, a inteligência emocional possui um papel fundamental nas relações pessoais, pois consegue trabalhar a forma como nos relacionamos com o outro através da criação da empatia, pois existirá a capacidade de perceber como o outro se sente e o que nós sentimos, criando um processo mais saudável e equilibrado.

O foco nessa habilidade irá diminuir a crítica destrutiva nas relações, promovendo uma comunicação empática onde realmente se procura chegar a um ponto positivo para ambas as partes.

Sendo a inteligência emocional importante em tantas vertentes diferentes, é quase obrigatório pensar em estratégias de desenvolver esse skill em cada um de nós.

Imagens: Pexels

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui