Sarah Poncio é uma influenciadora e apresentadora que perdeu a guarda de seu filho adotivo Josué Marcio, de 3 anos, depois que a mãe biológica solicitou a guarda da criança. Ela é mãe de dois filhos biológicos e havia adotado o pequeno Josué.

O processo de adoção havia sido iniciado por Sarah e estava em andamento, mas teve essa interrupção. A assessoria de imprensa de Sarah afirmou que a família se encontra numa situação que ninguém deveria vivenciar, a perda de uma criança.

Sarah utilizou suas redes sociais para se pronunciar sobre o caso. Ela e sua cunhada, Gabi Brandt, postaram uma série de registros do menino com a família adotiva.

Em uma nota divulgada por sua assessoria, a influencer diz que se sentiu conectada com Josué desde o primeiro contato de olhares.

“A decisão de adotar Josué foi baseada na esperança de resgatar uma criança em situação de vulnerabilidade social, provendo um lar adequado, repleto de amor e carinho. Todo o processo correu com o respaldo da lei, além de aprovação e bem entendimento de ambas as partes. Dito isso, Josué se tornou uma parte essencial da realidade de Sarah, ele se tornou, de fato, um filho”, diz a nota.

Além disso, foi deixado claro que o menino sempre terá seu espaço no lar da família Poncio.

Em seu Instagram, Sarah fez uma publicação comovente, com um desabafo sincero. “Quando eu encontrei o Josué, eu me tornei mãe mais uma vez. Ao longo de toda nossa experiência, compartilhei todo o amor que pude com esse bebê, que tanto merecia afeto e carinho. Não importa o que digam, eu serei eternamente sua mãe. Eu cuidei dele com zelo, nutri com afago e vivi sua vida em cada célula do meu corpo.”, escreveu na legenda de uma fotografia.

A influenciadora continuou falando sobre o que estava sentindo depois da perda da guarda: “Hoje, me sinto perdida. As imagens parecem borradas e as palavras só barulhos. Eu perdi um filho. Me foi tirado meu filho! Estou quebrada por dentro, como se minha casa tivesse sido invadida e meu lar, que sempre me proporcionou segurança, tivesse sido violado. Preciso encontrar forças. Meus outros filhos dependem disso. Mas por hora, só consigo orar. Pedir a Deus que acompanhe o meu filho e nunca o desampare. E quando precisar, estarei aqui. Pois uma mãe, jamais deixa de ser mãe. O nosso amor não tem distância, validade ou DNA. O nosso amor, o MEU amor, é incessante, inalterável e infinito.”, completou.

 

 

Com informações de Yahoo

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

  1. Eu acho absurdo dar a guarda pra mãe biológica. Pois uma vez já não foi suficiente mãe, pois se nós mães afetivas os temos em nossas vidas é pq algo estava errado qdo os encontramos ,mas enfim quem decide é uma pessoa né!!!
    E quem garante que tudo isso vai fazer bem à criança. É por isso que muita criança fica em instituições e nem encontra um lar pq os pais que querem ser afetivos tem medo de sofrer a separação à qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui