Cerca de 6 milhões de animais dão entrada em abrigos anualmente nos Estados Unidos. São superpopulações de bichinhos cheios de amor e carinho para oferecer e que precisam de uma família.

Enquanto isso, em criadouros, são procriados cães, gatos e coelhos para a venda. A conta não bate, certo? Além de que todos esses animais, tanto os do abrigo e principalmente os dos criadouros, são submetidos a condições precárias de vida, tratados simplesmente como produtos.

Sendo assim, o governo do Estado da Califórnia aprovou por unanimidade a lei que proíbe a venda de animais nascidos em criadouros. A partir de agora a venda e adoção nas lojas podem ser feitas somente com animais vindos de abrigos ou organizações dedicadas ao resgate de animais abandonados.

É necessário também um Certificado de Origem, provando que os animais realmente vieram daqueles locais e estão precisando de um lar. Além disso, as lojas ainda são obrigadas a disponibilizar, em local visível, o nome da entidade de onde cada bichinho veio.

Foto: Reprodução JM online

 

 

A lei está em vigor desde janeiro de 2019 e prevê aos estabelecimentos multa de US$ 500 (mais de R$ 1.500) por animal vendido irregularmente.

Adotar é um ato de amor. Não compre, adote!

Com informações de The Greenest Post

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui