Aqueles que lutam pelos seus sonhos implacavelmente merecem glória, ainda mais quando têm de enfrentar grandes obstáculos. A pandemia COVID-19 dificultou a preparação dos atletas para as Olimpíadas de Tóquio, mas muitos se esforçaram para treinar. Na verdade, um deles treinou no jardim de sua casa e agora ganhou uma medalha de ouro.

Ele é o nadador britânico Matthew Richards, que teve que dar um jeito de continuar seus treinos quando as piscinas fecharam por causa do confinamento. Menos de 18 meses antes da competição, o jovem comprou uma pequena piscina e instalou no jardim de sua casa.

Foto: Reprodução Instagram

Como pode ser visto nas imagens que ele publicou em sua conta no Instagram, o jovem de apenas 18 anos teve que anexar uma liga no muro de seu quintal, para poder nadar de forma estática na piscina de lona.

Naquela época, ele certamente não imaginava que tal esforço seria recompensado com a maior conquista: uma medalha de ouro. Nesta quarta-feira, 28 de julho, Richards foi campeão da prova de 200 metros em estilo por equipe, ao lado de seus companheiros Duncan Scott, James Guy e o bicampeão olímpico Tome Dean.

“Estamos carregados de alegria, felizes por ele, pela equipe; É um momento surreal”, comentou sua mãe Amanda, em conversa com a BBC.

Todo o processo de preparação antes da competição foi um contratempo para a família, mas acabou da melhor maneira. A equipe esteve perto de bater o recorde mundial do evento. Uma estreia de ouro para Richards em suas primeiras Olimpíadas.

Foto: Reprodução Instagram

“A ideia de não saber quando poderia voltar para a água era um problema real para ele”, contou sua mãe, sobre as dificuldades de treinar na pandemia .

Segundo a BBC, o jovem se inspirou em um nadador holandês de águas abertas, que estava treinando em uma piscina de lona. Então, eles compraram uma de 3 metros de largura e 5 metros de comprimento, sendo 1 metro de profundidade.

Foto: Reprodução Instagram

“Colocamos algumas cordas elásticas na parede da garagem e ele ficava ali, nadando hora após hora, com sua roupa de neoprene, para não perder o contato com a água”, disse seu pai. “Isso o ajudava mentalmente”, acrescentou sua mãe.

Quanto à sua conquista, o jovem disse em suas redes sociais : “Esta semana tem sido uma montanha-russa de emoções, sair dos meus primeiros Jogos Olímpicos com uma medalha de ouro no pescoço é um verdadeiro privilégio e quero agradecer muito a esses 3 caras (sua equipe) por me levarem lá”.

Com informações de UPSOCL

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui