O convívio com animais nos traz uma série de benefícios, isso já não é novidade e já foi comprovado cientificamente. Junto aos pequenos peludos nós recebemos melhoras na autoestima, redução de estresse, aumento da sociabilidade e desenvolvimento de habilidades afetivas.

Por isso, a Justiça de São Paulo resolveu apostar nessa relação entre humanos e animais para o avanço no processo de reintegração social de pessoas nos presídios do Estado.

Dois centros de detenção do Estado de São Paulo, já estão com a novidade em funcionamento. Nas cidades de Tremembé e Taubaté, já foram instalados os canis que abrigam animais que estavam abandonados nas ruas.

Os Centros de Controle de Zoonoses da região foram os responsáveis pelo resgate dos bichinhos que passaram a receber os cuidados dos presidiários se encontram em regime semiaberto.

Foto: Reprodução G1

A alimentação dos animais, limpeza das dependências do canil, banho e tosa e o carinho aos bichinhos, tudo isso é por conta dos prisioneiros. Os animais são previamente castrados e vacinados antes de irem para o novo local.

O objetivo principal é que os detentos cuidem dos animais temporariamente, já que os pequenos são levados semanalmente para feiras de adoção responsável. De quebra, os adotantes ainda ganham uma casinha para seus novos bichinhos de estimação, construídas por presos de uma terceira penitenciária paulista, localizada na cidade de Caraguatatuba.

Assim, os presos avançam no processo de reintegração social, os cãozinhos são bem cuidados e ainda têm a chance de conseguir um novo lar a cada semana. Tudo faz sentido!

Nos EUA, um centro de detenção na Flórida também mantém com sucesso uma iniciativa parecida!

Com informações de The Greenest Post

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui