Quando tentei te explicar o que estava sentindo, expus minha dor e disse que aquilo estava me machucando. Em momento algum quis te criticar ou cobrar uma mudança de atitude. Eu apenas me posicionei. “Não está me fazendo bem”.

Você, sem saber o que responder, me alfinetou: “Difícil te agradar, hein?”

Então, mais uma vez entendi que não adiantava discutir. Cada um oferece aquilo que consegue ofertar. Porém, queria que soubesse, não sou difícil de agradar. Qualquer música no meio da tarde, um emoji de coração ou de beijinho, um bombom ou uma flor colhida no jardim me cativa ou conquista.

Porém, como na letra do Kid Abelha: “Você me tem fácil demais, e não parece capaz
de cuidar do que possui…”

Eu não desejo alguém que domine todos os assuntos, mas que puxe papo, mande áudio, uma foto aleatória, ou um “oi adivinha onde estou” quando passar por uma cafeteria. Eu não quero alguém que me dê presentes caros, mas que entenda o valor de uma lembrança ao retornar de uma viagem ou de um convite para um vinho no fim do dia. Eu não preciso de alguém que me ligue todos os dias, mas que entenda a importância de uma mensagem no dia seguinte de uma noite regada à cerveja e amor.

Eu não procuro alguém que me mande flores, mas que cogite colocar um emoji colorido ao lado de um bom dia ou boa noite para eu saber que, de alguma forma, sou especial. Eu não tenho a pretensão de que fale comigo toda hora, mas que se lembre de mim ao recomendar uma série nova, comemorar a promoção no trabalho, ou chorar a derrota do seu time.

Relacionamentos não são feitos de uma grande coisa, e sim de um milhão de pequenas coisinhas. Eu não sou difícil de agradar, e é necessário tão pouco para me ganhar.

Porém, aprendi que amor, atenção, carinho e consideração a gente não agradece, e sim retribui. Com o tempo a gente cansa de puxar assunto, chamar de linda (o), mandar print, dizer que tá com saudade, demonstrar interesse, enviar uma música, oferecer um mimo, dar bom dia, dizer “dorme com Deus”… e então, quando desiste e vai embora, nem sempre quem fica tem noção do que aconteceu.

Relacionamentos acabam não somente por uma grande mancada, e sim por milhares de pequenas ausências e motivos bobos que se somam no dia a dia. Chame pra uma conversa, resolva no olho a olho, não deixe acumular. Não fique estranho do nada, não retribua silêncio com mais silêncio ainda, evite cobranças desnecessárias e críticas.

Faça tudo o que estiver ao seu alcance, e depois solte. Se trate bem, e espere que a vida seja recíproca com você também. O tempo dirá o que deverá ficar. E, sem sombra de dúvida, deixe ir o que não tem mais nada a te acrescentar.

*Dedico este texto ao meu amor Luiz Antonio Lopes, que há 20 anos me conquista nas pequenas coisas, que somadas são uma grande coisa. Amo você

Compre meu novo livro “Textos para acalmar tempestades” aqui: https://amzn.to/3wikbwN

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




Fabíola Simões
Escritora mineira de hábitos simples, é colecionadora de diários, álbuns de fotografia e cartas escritas à mão. Tem memória seletiva, adora dedicatórias em livros, curte marchinhas de carnaval antigas e lamenta não ter tido chance de ir a um show de Renato Russo. Casada há dezessete anos e mãe de um menino que está crescendo rápido demais, Fabíola gosta de café sem açúcar, doce de leite com queijo e livros com frases que merecem ser sublinhadas. “Anos incríveis” está entre suas séries preferidas, e acredita que mais vale uma toalha de mesa repleta de manchas após uma noite feliz do que guardanapos imaculadamente alvejados guardados no fundo de uma gaveta.

3 COMENTÁRIOS

  1. Esse texto acaba de relatar meu momento. São nas pequeninas coisas que o amor se perde…
    A gente fala, sinaliza e nada! Até que cansa da indiferença, do descaso e da falta de cuidado, e isso dói.
    Até que o amor próprio fala mas alto e saímos pela porta, e o outro finge não saber o porquê.
    🙁

  2. Sputnik V vaccination has begun in Slovakia. The equipment of the Russian vaccine to the inherited mould was accompanied by a administrative scandal and led to the abandonment of Prime Plenipotentiary Igor Matovich and a realignment of the government. As a evolve, the territory received the Russian vaccine, in spleen of the phenomenon that neither the European regulator nor the WHO has moreover approved it.
    In neighboring Hungary, which approved the disesteem of Sputnik in February as the elementary in Europe, more than 50% of the adult natives has already been vaccinated; in Russia – a small more than 10%. In Slovakia, five thousand people signed up payment the Sputnik vaccination.
    And who has a crack from all this happiness? Or maybe I didn’t catch up at all?. You can present another article on this topic at this association https://simcast.rabaty.fun

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here