Quando Josh Waterworth nasceu, os médicos o diagnosticaram bastante saudável, mas depois de dois anos, um vírus tomou conta de seu sistema imunológico, causando a paralisia de todos os seus membros. Encontrar a causa do problema não foi fácil e as previsões mais promissoras eram de que ele sobreviveria apenas em estado vegetativo. Felizmente, o pequeno Josh tem lutado mais a cada dia que passa, e hoje, seus pais comemoram que ele conseguiu dar seus primeiros passos novamente.

Josh tinha dois anos quando o ‘Enterovírus’, vírus semelhante ao da poliomielite, de repente começou a infectar seu sistema imunológico. Acredita-se que o contágio possa ter ocorrido por contato com uma superfície infectada, algo indetectável para qualquer pessoa. Os primeiros sintomas começaram em junho de 2016 e da noite para o dia seu mundo mudou completamente.

Foto: PA Real Life

Karen Waterworth, sua mãe, achou que fosse um problema respiratório com febre, mas no dia em que seu filho não conseguia mexer o braço direito, ela o levou ao pronto-socorro, temendo o pior.

Após algumas horas, Josh teve que ser internado. O vírus detectado em seu corpo havia avançado rapidamente em apenas um fim de semana.

“Havia inflamação em toda a sua coluna. Foi tão chocante, não era apenas uma seção. Foi do topo, no tronco cerebral, até a espinha. Muito rapidamente, ele estava no suporte de vida. Ele não conseguia respirar, não conseguia nem mesmo levantar a cabeça. Ele estava completamente paralisado. Tudo o que ele podia fazer era mover os dedos esquerdos”, conta Karen Waterworth para Metro UK.

Foto: PA Real Life

Só depois de algumas semanas a família foi autorizada a abraçar Josh novamente. Mesmo com suporte de vida, a criança começou a apresentar sinais de movimentos musculares e foi rapidamente submetida a exercícios de movimento. Partindo do pior prognóstico, Josh passou a mexer o braço esquerdo, o que foi um milagre para os médicos e a família.

Após um ano conseguiu deixar a unidade hospitalar e, já em 2019, Josh iniciou um processo intensivo de reabilitação, superando todos os prognósticos. Até a parte inferior de seu corpo estava completamente paralisada, mas sua cabeça e braços moviam-se com mais naturalidade, ganhando cada vez mais autonomia.

Com o tempo, o pequeno Josh conseguiu ficar de pé, mas sempre segurando com as mãos, embora não houvesse mais vestígios do vírus em seu corpo, as sequelas deixadas pela doença o impediam de andar.

Só neste ano de 2021 foi que Josh conseguiu seu maior feito: dar os primeiros passos na sala de fisioterapia sem se apoiar nas mãos. Essa descoberta permitiu aos médicos darem à família mais esperança de que uma recuperação total é possível, mas que as mudanças serão graduais.

Foto: PA Real Life

Sua mãe diz que às vezes Josh fica incomodado ao ver irmãos e amigos jogando futebol, seu esporte favorito, mas todos eles o encorajam todos os dias.

Com informações de UPSOCL

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




Ana Carolina Conti Cenciani
Ana, 20 anos, estudante de Artes Visuais na UNESP de Bauru. Trago aqui matérias que são boas de se ler.

1 COMENTÁRIO

  1. Acredite nos médicos mas não totalmente. Nem mesmo eles podem saber o potencial de cada um, capaz de superar o insuperável, transpor o intransponível e vencer o invencível. Josh provou isso. Parabéns herói.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here