Costumo dizer que no primeiro momento, a beleza física de uma pessoa nos chama atenção. Detalhes como aparência, comportamento e postura são coisas que notamos em alguém. Mas sabe o que nos impulsiona a permanecermos próximos delas? A forma como somos tratados. É simples. Se somos bem tratados e sentimos uma boa energia com alguém é óbvio que vamos querer essa pessoa junto de nós.

Se você preza por paz e tranquilidade não permitirá a presença de alguém sem valores e princípios. Aliás, precisamos tomar muito cuidado com quem compartilhamos nossa energia.

Voltando ao assunto anterior, a beleza atrai olhares, mas se você não for uma pessoa agradável, ninguém vai querer ficar perto de você e sua beleza física será apenas uma característica.

Por que estou comentando isso? Um rapaz sem educação entrou em contato comigo. Bem, a princípio, ele se mostrou educado e gentil, mas sabe como é, né!? Nem todas as pessoas são bem intencionadas. Da mesma forma que existem pessoas realmente boas, existem pessoas capazes de te ofender sem motivo algum. Esse indivíduo começou o diálogo me elogiando e terminou dizendo que sou “mal educada” porque não correspondi aos interesses dele.

Ora, mas não sou obrigada a nada. A partir do momento que eu não estou interessada em algumas questões tenho o direito SIM de cortar o “início de uma conversa”.

Quem me conhece sabe que procuro ser educada e gentil com todos e que, tanto pessoalmente como presencialmente, procuro tratar a todos com carinho e respeito.
Esse acontecido me fez questionar “por que tanta grosseria?” E a resposta é simples: Quando alguém tem o ego ferido usa o que está sentindo para atacar alguém.

Nem sempre as pessoas serão correspondidas como gostariam e isso não é motivo para tratar alguém mal.

Quero terminar esse texto reafirmando que não somos obrigados a atender a expectativa de alguém e que a beleza física é irrelevante quando falta educação, gentileza e humildade.
Essas 3 palavrinhas, ao contrário da estética, são o que deixam qualquer pessoa bonita.

Photo by Allef Vinicius on Unsplash

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Estudante de jornalismo, radialista por amor, escritora nas horas vagas. Adora dar boas risadas, costuma passar os domingos de pijama assistindo filmes e séries. Apesar de não curtir baladas, é incapaz de recusar uma rodinha de violão, e para pra cantar junto. Mesmo desafinada, garante que é simplicidade em pessoa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui