Andrew Brooks se especializou em pesquisa genética usando saliva, então, diante da ameaça do novo coronavírus, ele desenvolveu um método para detectá-lo de forma rápida e minimamente invasiva. Infelizmente, ele faleceu, deixando para trás sua esposa e três filhas, mas também um grande legado pro mundo da medicina. Por causa dele, milhares de vidas foram salvas.

Brooks, além de médico era professor da Rutgers University que desenvolveu o teste rápido do coronavírus usando saliva. Ele faleceu em janeiro deste ano em , com apenas 51 anos, segundo informou o prestigiado The New York Times.

A causa da morte, segundo a irmã de Brooks, foi um infarto, e ainda de acordo com a família, Brooks não havia tido qualquer problema de saúde relacionado ao coração.

Em vida, o Dr. Brooks também se destacou na comunidade médica por seu excelente desempenho em testes genéticos com saliva humana. Seu colega Tischfield sempre admirou isso no colega de trabalho:

“A maioria dos cientistas que conheço não está interessada, ou aliás, interessada na comercialização do que faz. Andy entendeu que se você quer que algo saia e seja usado, você tem que ser um jogador. Você não pode confiar nas outras pessoas.” disse Dr. Jay Tischfield para o New York Times.

O seu teste rápido, ajudou e ainda ajuda a salvar milhares, melhor, milhões de vidas ao redor do mundo.

Com informações UPSOCL
Foto: Nick Romanenko

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui