A vacina Covaxin, produzida na Índia através do laboratório local Bharat Biotech, demonstrou-se segura e induziu à produção de anticorpos em mais de 98% das pessoas que participaram dos testes realizados.

Esse foi resultado da até então fase 2 de testes da vacina contra a Covid-19 produzida a partir de vírus inativado. Os resultados já foram publicados na plataforma médica medRxiv, disponível online para cientistas de todo o mundo, inclusive da Organização Mundial de Saúde.

A Covaxin foi testada em humanos apenas na Índia, onde foi aprovada para uso emergencial e está sendo aplicada na população desde o início de 2021, precisamente desde o dia 3 janeiro.

No Brasil, o Ministério da Saúde assinou contrato para comprar de 20 milhões de doses, mas a vacina ainda não ganhou aval da Anvisa.

Mesmo com os ensaios clínicos da terceira e última fase ainda em andamento, a empresa divulgou, no último dia 3 de março, resultados preliminares de eficácia da vacina, apontado incríveis 81% de eficácia.

O ensaio de fase 3 está sendo feito com 26 mil participantes distribuídos em 25 centros hospitalares do país asiático.

Outra boa notícia da vacina indiana são os seus baixos efeitos colaterais, onde apenas cerca de 3% dos participantes nos dois grupos de dosagem reportaram efeitos colaterais, dos quais a maioria, ou seja 70% dos participantes, tiveram efeitos leves, como dores no local da injeção ou fadiga. Ambos os efeitos passaram em menos de 1 um dia completo.

Além disso, após três meses, os voluntários que tomaram a vacina ainda permanecem apresentando anticorpos no sangue, o que indica uma resposta imune duradoura e ideal, podendo ser mais uma chance de milhões de vida serem salvas no mundo.

Com informações Diário do Nordeste
Foto: Dibyangshu Sarkar/AFP

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui