A cientista brasileira e professora de biologia celular na Universidade de Southwestern, no Texas, EUA, é líder de uma recente pesquisa que encontrou uma proteína chave para o tratamento da Covid-19.

Beatriz Fontoura liderou o estudo que identificou a forma como uma proteína do novo coronavírus, chamada de Nsp1, consegue bloquear a atividade dos genes que promovem a replicação do vírus no organismo.

O grupo de pesquisadores, da qual cientista brasileira integra, analisou como impedir a ação dessa proteína que faz com que o vírus se multiplique no corpo humano, trazendo assim esperança para novos tratamentos dessa pandemia que estamos vivendo.

O estudo foi publicado este mês na conceituada revista científica Science Advances.

“Quando um vírus infecta uma célula, a forma como a célula hospedeira reage é alterando as vias celulares de certa maneira que neutraliza a infecção viral”, contou Beatriz Fontoura a EurekaAlert. “Os vírus podem atingir muitas dessas vias para favorecer sua própria replicação”, continuou a explicar.

“A pesquisa é promissora, mas para desenvolver terapias no futuro, primeiro precisamos entender melhor o mecanismo”, explicou outro cientista parte do grupo de Beatriz.

Mesmo com a chegada das vacinas, o vírus ainda continua se espalhando e já até sofreu mutações, e por isso a continuidade da pesquisa e estudo para o desenvolvimento de novas terapias é de extrema importância.

Apoie a ciência. Precisamos valorizar nossos pesquisadores no Brasil também.

Com informações EurekAlert
Foto: UT Southwestern

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here