Um medicamento quimioterápico, usado pra tratar linfoma, talvez possa ser usado pra tratar diagnosticados com a Covid-19, segundo cientistas.

Os resultados foram recentemente publicados na revista científica PLOS Computational Biology.

Haiping Zhang e seus colegas dos Institutos de Tecnologia Avançada de Shenzhen, na China, conseguiram por meio de cruzamento de dados no computador chegar a 4 drogas promissoras para o tratamento do novo coronavírus.

Todos os medicamentos foram testados contra o SARS-CoV-2 em experimentos de laboratório.

Duas das drogas, pralatrexato e azitromicina, inibiram com sucesso a replicação do vírus no organismo

O pralatrexato, em especial, poderia ser potencialmente reutilizado para tratar pacientes com COVID-19.

Outros experimentos de laboratório mostraram que o pralatrexato inibiu com maior eficácia a replicação viral do que o remdesivir, um medicamento atualmente usado para tratar alguns pacientes com Covid.

Para ajudar na triagem virtual de drogas existentes, Zhang e seus colegas combinaram várias técnicas computacionais que simulam interações entre drogas e o vírus de diferentes perspectivas.

“Demonstramos o valor de nossa nova abordagem híbrida que combina tecnologias de aprendizado profundo com simulações mais tradicionais de dinâmica molecular”, diz Zhang.

Os cientistas trabalham agora no desenvolvimento de métodos computacionais adicionais para gerar novas estruturas moleculares, que poderão ser assim desenvolvidas em novos medicamentos para tratar do vírus.

Com informações Lab Manager e PLOS Computational Biology
Foto: Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here