Cientistas conseguiram produzir um tomate enriquecido com o medicamento conhecido como L-DOPA, que é usado contra a doença de Parkinson, para reduzir assim o preço do remédio em si – que custa uma fortuna.

O estudo sobre o medicamento já ganhou publicação na conceituada revista científica Science é de autoria pesquisador Dario Breitel, que faz parte do Departamento de Biologia Metabólica, do John Innes Center, no Reino Unido.

Ele os seus colegas introduziram na planta do tomateiro um gene responsável por sintetizar a L-DOPA, um aminoácido precursor da dopamina neuroquímica, usada pra compensar o suprimento da própria no tratamento de pacientes com a doença de Parkinson.

A L-DOPA é um medicamento produzido a partir da tirosina, um aminoácido encontrado em vários alimentos que consumimos.

O remédio para o tratamento de Parkinson é considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um dos mais caros do mundo, com o tratamento podendo alcançar centenas de milhões de dólares.

Os cientistas agora buscam criar uma linha de produção em que a L-DOPA seja extraída dos tomates e purificada para reduzir o alto custo farmacêutico do remédio.

“Então você poderia aumentar a escala a um custo relativamente baixo. Uma indústria local poderia preparar a L-DOPA a partir de tomates porque ela é solúvel e você pode fazer a extração. Então você poderia fazer um produto purificado de tecnologia relativamente baixa que poderia ser distribuído localmente,” declarou a professora Cathie Martin, também do Centro John Innes.

Com informações Diário da Saúde
Foto: Phil Robinson

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here