Cientistas da Universidade da Columbia, nos EUA, descobriram recentemente um hormônio que é capaz de “desligar a fome” da pessoa e ele será usado para tratar uma das mais graves doenças do mundo: a obesidade. No total, são mais de 620 milhões de pessoas no mundo que sofrem dela.

O hormônio Lipocalin-2 (LCN2), que aumenta a sensação de saciedade é o responsável por ser capaz de reduzir o apetite deixar o organismo intoxicado. Ele é produzido, principalmente, pelas células ósseas, presentes tanto em camundongos quanto em humanos.

O estudo foi publicado na revista especializada Elife Sciences. No artigo, a pesquisa diz ter sido bem sucedida em testes em roedores, primatas e também em humanos.

A ideia é de que a substância seja usada como possível tratamento para pessoas que sofram de obesidade cujo organismos naturais não seja mais capazes de frear a doença.

Novos testes serão realizados em breve em Munique, na Alemanha e a expectativa dos cientistas é de mais bons resultados em breve.

Certamente é uma esperança para uma doença que aflige tantos milhões de pessoas espalhadas pelo mundo e ao contrário do que muita gente pensa, a obesidade pode ser sim uma doença. Não é pura e simplesmente gula ou escolha da pessoa comer tanto.

Com informações Metrópoles e Elife Sciences
Foto: Stockvisual / Getty Images

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

  1. Uma boa notícia visando medicar pessoas fora do limite saudável de peso. Obesidade é uma doença e como tal deve der tratada pois uma pessoa gorda, de qualquer faixa etária, é um enfermo necessitado de atenção e cuidado, mesmo considerando que “se aceita como é” e “gosta de si proprio como está “. Amigo que incentiva pessoas gordinhas a manter o seu porte “espaçoso e avantajado”, não gosta delas de verdade, está provando isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here