Maria Lúcia Possa é pesquisadora que foi uma das primeiras pessoas no Reino Unido a receber a vacina da Pfizer contra a Covid-19 na última terça, dia 8. Ela não vê a hora de poder retornar ao Brasil para reencontrar a mãe que vai completar 100 anos.

Maria Lúcia contou a história ao ser entrevistada pela GloboNews e confessou que tomar a vacina foi um alívio indescritível:

“Hoje é o primeiro dia, mas acho que a coisa mais importante é que tem luz no fim do túnel […] e eu sou a prova”, disse.

Lembrando que a brasileira só conseguiu tomar a vacina porque ela trabalha no sistema de saúde – no Hospital Universitário Royal Free – além de já ter passado por um transplante de rim, o que também a coloca no grupo de risco do vírus.

Maria Lúcia teve a sorte de receber a dose logo no primeiro dia de vacinação do Reino Unido.

A pesquisadora contou que estava de folga quando um colega de trabalho falou para ela conferir o seu e-mail. Isso porque alguns dos funcionários do hospital em que ela trabalha seriam vacinados já na primeira fase da campanha. E não é que era verdade?

A brasileira agora precisa aguardar até o próximo dia 5 de janeiro, data prevista para o recebimento da segunda dose. O mais difícil agora é segurar a ansiedade até lá para poder viajar de volta para o Brasil e ver a mãe.

“Eu estou cansada, está todo mundo cansado – da doença, de ficar em casa, de todas essas restrições”, confessou a pesquisadora.

A vacinação contra a Covid-19 já começou no Reino Unido, após o imunizante desenvolvido Pfizer e BioNTech receber autorização para uso emergencial no país.

Foto: reprodução / GloboNews

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here