Pesquisadores da Universidade canadense de Calgary, fizeram uma descoberta significativa pode mudar a ciência pra sempre: a possibilidade de prevenir e reverter os efeitos do Alzheimer.

Os cientistas, liderados pelo Dr. Wayne Chen, descobriram que limitar o tempo de abertura de um canal chamado receptor de rianodina – porta de entrada para células localizadas tanto no coração quanto no cérebro – reverte e previne a progressão da doença de Alzheimer, pelo menos foi o constatado em ratos. Os cientistas também identificaram um medicamento que interrompe o avanço da doença.

Os resultados deste estudo que pode ser inovador e histórico para a ciência, já foi publicado na revista Cell Reports, onde resultados mostrados que após um mês de tratamento, todos os sintomas, incluindo a perda de memória e até deficiências cognitivas.

“Nós os tratamos por um mês e o efeito foi incrível”, revelou Chen ao explicar que o medicamento foi bem-sucedida em reverter os principais problemas da doença de Alzheimer.

A equipe do pesquisador usou uma droga que já existe, o carvedilol, para os estudos nos ratos em tratamento ao Alzheimer.

A droga usada é geralmente receitada para pacientes com problemas cardíacos e funcionou em pouco tempo de tratamento do estudo.

O Dr. Chen se considera otimista quanto ao futuro da pesquisa, no entanto, ele também disse que há muitos passos a serem tomados antes que esta descoberta leve a um ensaio clínico com seres humanos.

Com informações GNN
Foto: Libin Cardiovascular Institute

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here