e foi mesmo, juro. é como se finalmente eu tivesse aceitado que para seguir em frente, preciso acreditar no meu aprendizado, tirando proveito de dores passadas.

hoje o meu amadurecimento é muito mais significante do que era no passado. eu resolvi me abraçar, me considerar, me estabelecer como o afeto mais importante de todos.

mas para despertar esse conhecimento em mim, não foi indolor. eu lutei, eu abri mão de pensamentos e sentimentos fechados para ter em meu coração a oportunidade de crescer, evoluir.

abri a caixa de pandora da minha alma, sabe? vi que estar só não é o fim do mundo. a solidão pode vir a ser solitude, depende da sua forma de encarar a vida.

eu peguei as minhas cicatrizes e me dei conta de que era tempo de dedicar mais tempo e acolhimento pras minhas questões internas e externas. eu escolhi me amar.

ser honestidade comigo tem o seu preço. algumas pessoas não entendem e acham que a loucura me puxou para um enorme buraco.

mas aconteceu exatamente o contrário, consegui me libertar e compreender o peso e a importância emocional de ser quem sou.

agora, eu só quero mergulhar ainda mais profundamente dentro da minha identidade que não é definitiva, mas é construtiva.

disponível e ciente disso, tenho certeza que serei alguém mais real e mais perto do ideal da relação que posso querer ou não compartilhar.

de qualquer forma, estarei sobre controle e equilíbrio dos meus amores permitidos.

Imagem de capa: Becca Tapert via Unplash

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



"Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro"

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui