Este artista e professor de inglês encontrou uma maneira criativa de confortar as pessoas que estão tristes por causa da pandemia: ele reviveu a tradição da escrita na máquina de escrever, e passa o dia escrevendo carta para quem precisar.

Brandon Woolf, mora no Brooklyn, EUA, e queria uma solução sobre como ajudar a fazer conexões significativa para pessoas, principalmente para quem perdeu algum ente querido, emprego, negócio e qualquer outra coisa que possibilitavam algum tipo de felicidade, mas que foram privadas por conta da pandemia.

Woolf é professor da New York University e usa uma máquina de escrever portátil vintage para concretizar sua arte. Passando o dia sentado em uma cadeira dobrável ao lado de uma caixa de correio, a sua placa que diz: “Cartas grátis para amigos que se sentem tristes”.

“Quando a conexão interpessoal tá prejudicada, quais são as outras maneiras de ficarmos juntos?”, questionou Woolf.

“Qual experiência melhor do que receber uma correspondência em sua caixa de correio, de alguém de que você não esperava receber notícias?”, acrescentou.

Woolf ficou todos os dias praticamente, durante quatro semanas seguidas, digitando cartas para seus vizinhos do bairro de Park Slope, no Brooklyn.

Ao final do projeto, Woolf teve um total de mais de 50 cartas escritas, o que ajudou no mínimo 100 pessoas a se reconectarem nesses tempos incertos em que vivemos.

Lindo trabalho!

Confira no vídeo abaixo:

Com informações GNN
Foto: Diego Gurner-Stewart

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here