Abaca (também chamada de musa textilis) é uma fibra nativa das Filipinas, onde geralmente é usada em cédulas e saquinhos de chá, principalmente por sua durabilidade ser tão boa quanto a do poliéster.

Esse material é parente direto da banana e é uma ótima alternativa para substituir o plástico que está sendo usado em milhões de máscaras faciais utilizadas por todo o mundo e que ainda prejudicam o meio ambiente quando erroneamente descartadas.

A melhor e maior vantagem do material é o fato dele ser muito mais barato para fazer as máscaras e se decompõe em apenas dois meses quando jogado fora. Segundo o diretor executivo da Philippine Fiber Industry Development Authority, com essa pandemia, se todos nós comprarmos máscaras feitas de fibras sintéticas, elas se acumularão em aterros que levarão décadas até entrarem em decomposição.

Devido ao enorme impacto sofrido pela pandemia que atravessamos, os governos têm se concentrado mais em pensar na higiene do que necessariamente no meio ambiente, portanto, os plásticos descartáveis ​​aumentaram ainda mais a sua presença nas ruas e também nos oceanos.

Muitas empresas não fazem a mínima questão de experimentar novas alternativas ou fabricar produtos biodegradáveis ​​com a desculpa do seu alto custo, sem contar o fato eficácia que alegam não ter.

Mas o Departamento de Ciência e Tecnologia das Filipinas realizou um estudo que demonstrou que a sua máscara biodegradável possui grande resistência dentro das fibras do papel Abacá, sendo muito melhores do que as da máscara comercial conhecida como N-95. Isso além de terem faixas de porosidade aceitáveis, conforme recomendado pelo Centro de Controle e US Disease Prevention.

“A fibra de abacá está ganhando popularidade rapidamente à medida que governos e fabricantes em todo o mundo escapam para produzir vestuários médicos mais seguros e reutilizáveis ​​para profissionais de saúde”, disse Pratik Gurnani, consultor da Future Market Insights.

Países vizinhos das Filipinas, como China, Índia e Vietnã, já solicitaram este material para o desenvolvimento de materiais de saúde. É importante levar em consideração o impacto ambiental de todos os produtos que usamos para evitar a disseminação desta pandemia.

Esta incrível iniciativa é digna de admiração e muitos aplausos e mais governos do mundo deveriam praticar esta ideia maravilhosa.

Com informações Nation

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here