Um dos setores mais prejudicados pela pandemia no mundo sem dúvida está sendo a educação. Com o crescimento da pandemia, milhões de crianças e jovens de todo o planeta foram prejudicados por conta disso.

No entanto, a educação na substituir aulas presenciais pela online nunca será igual. A diferença de qualidade e acompanhamento dos alunos é bem evidente, devido a diversos fatores, sem contar que muitos sequer possuem acesso à recursos necessários para entrar na internet e acompanhar as aulas.

Portanto, alguns países estão começando a pensar em várias opções para dar um retorno seguro às aulas presenciais, ao mesmo tempo que a preocupação é não expôr nenhum dos alunos.

Embora a pandemia tenha sido controlada de alguma forma em muitos países, a emergência sanitária está longe de terminar – ainda mais sem uma vacina. É por isso que o Irã propôs uma forma diferente dos alunos retornarem às salas de aula com menor risco de contágio possível.

Como pode ser visto em uma foto compartilhada em sua conta no Twitter pelo jornalista Farnaz Fassihi do New York Times, o país asiático, localizado no Oriente Médio, retomou às aulas com uma espécie de cápsula de plástico para cada aluno ficar protegido.

Dessa forma, com cada dentro da sua “própria bolha”, sem ter contato direto com os outros colegas e professores, seria a solução mais segura.

“A escola na era da pandemia no Irã”, escreveu Fassihi na publicação, que ganhou fama no Twitter por caus da publicação e já conta com mais de 8.600 curtidas.

Parece uma ideia genial do Irã, em meio à necessidade de os alunos poderem receber uma educação de qualidade, após 6 meses de pandemia, mas também soa um pouco forte e impactante ver nossas crianças reunidas assim dessa forma. Tudo bem que a tentativa é válida. Porém, seria bom mesmo é que todos já contassem com a vacina para não precisarem passar por nenhum tipo de adaptação.

Com informações UPSOCL
Foto: Farnaz Fassihi

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here