A sonhada liberdade e sem mais sofrimento! Foram 35 anos vivendo em cativeiro. Agora, o elefante conhecido como o mais solitário do mundo foi libertado e será transferido para um santuário natural.

Desde 2012, quando perdeu o seu parceiro, o elefante Kaavan tem convivido em plena solidão, que infelizmente teve consequências mentais e físicas no animal.

Kaavan é um elefante asiático que vivia no Zoológico Marghazar, na capital do Paquistão, Islamabad, simplesmente desde o ano de 1985.

Ativistas de várias partes do mundo se mobilizaram por vários anos para pressionar as autoridades do país para que libertassem o elefante.

Até que enfim, a Suprema Corte do país não só ordenou o fechamento do Zoológico Marghazar devido às suas terríveis condições, causadas por uma administração negligente, como também a possibilidade de Kaavan voltar à natureza.

Exames médicos feitos após a sua libertação revelaram que ele estava acima do peso, apesar de apresentar sinais de claros de desnutrição.

Os seus cascos estavam rachados e crescidos demais, depois de anos de caminhada no chão de concreto, machucando seus pés.

“Ele também desenvolveu um comportamento estereotipado… ele move a cabeça de um lado para o outro por horas. Isso ocorre principalmente porque ele está entediado”, disse um dos médicos.

Martin Bauer, porta-voz da organização internacional de bem-estar animal Four Paws, explicou que Kaavan recebeu autorização médica para viajar, após um exame médico completo no zoológico realizado no início de setembro.

“Depois das verificações, que confirmaram que Kaavan é forte o suficiente, medidas serão tomadas para finalizar sua transferência para um santuário animal potencialmente no Camboja”, disse Martin Bauer à AP.

No santuário natural, Kaavan terá uma vida melhor e todas as mínimas condições que qualquer animal merece viver.

Com informações Nation
Foto: reprodução / Nation

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

  1. Prisioneiros, quando libertados dos campos de concentração, não são os mesmos de quando eram livres, nem o podem ser. O que lhes foi tirado não volta para ser deles de novo e o que partiu para sempre, nunca mais será deles.Isso porque um coração machucado não pode ser reformado como o telhado ou paredes de uma casa, pois o preço de uma vida é caro demais. No entanto, ainda há tempo de Kaavan acordar do pesadelo para um sonho de verdade, reaprendendo a ser feliz de novo sem medo de sonhar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here