todos nós já escutamos a clássica frase de que o amor supera tudo. mas não, não é assim. principalmente quando uma das partes envolvidas não entende isso como soma, mas como sugar o outro até não poder mais.

sim, porque existem amores que sabotam e não podemos romantizar o amor, esperando que, no tempo certo, mesmo após fazer mal e destratar tanto os nossos corações, que ele simplesmente vai se transformar e superar tudo.

o amor passa por problemas, enfrenta dificuldades e corre riscos, mas essa tal luta é pra quando os envolvidos estão disponíveis e em sintonia. quando é uma questão de apenas um se esforçar enquanto o outro vai absorvendo tudo o que você tem de bom, não é amor. é sofrimento disfarçado de eu te amo.

é por essa razão que devemos tratar o amor com responsabilidade, com acolhimento e entendimento que um relacionamento só segue vivo quando todos dentro desta relação se importam, se dedicam, se cuidam.

o amor nunca foi e nunca será uma estrada de mão única. é sempre uma lei de retorno, de reciprocidade e honestidade. sem o mínimo dos sentimentos e gestos apresentados, o amor vivenciado será mera ilusão.

então, não crie expectativas com as coincidências do amor. ele não acontece em todos os casos por acaso e muito menos porque precisamos sabotar a nossa autoestima para que ele resista.

amor é união e uma construção diária de paciência, no entanto, jamais de passividade.

amor bom soma e acrescenta, mesmo nos períodos mais complicados. mas quando ele fere e interrompe a sua vontade e confiança para continuar acredite, tem algo muito errado.

Imagem de capa meramente ilustrativa do filme La dolce vita (1960), Dir. Federico Fellini

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




Guilherme Moreira Jr
"Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro"

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here