Uma cena inusitada ganhou no Rio Grande do Norte acabou ganhando espaço em vários portais no Brasil. É a história de uma galinha “adotou” oito filhotes de uma cachorra.

Joaquina, a cadela, teve as suas crias no ninho onde a galinha costuma por os seus ovos.

E depois que eles vieram ao mundo, a galinha começou a proteger os filhotes como se fossem filhotes dela.

Esse caso de amor começou no dia 16 deste mês, quando eles nasceram em uma casa no município chamado Ielmo Marinho, localizado na Grande Natal.

A dona dos animais, Francisca Teixeira, disse que a cadela Joaquina tem menos de dois anos.

Outro fato curiosos é que as duas “mães” não se estranham. Muito pelo contrário, elas até revezam os cuidados.

A galinha ajuda diariamente na criação dos filhotes, seja aquecendo-os debaixo das suas asas e até mesmo limpando as crias da cachorroa com o seu bico.

A galinha é tão protetora que ameaça bicar qualquer pessoa, incluindo Francisca, que tenha a intenção de se aproximar para encostar nos filhotinhos.

“Ela protege mesmo, não deixa ninguém chegar perto. Nunca vi algo parecido na minha vida”, acrescentou Francisca.

José Newton, veterinário, explica que isso acontece porque tanto a cachorra quanto a galinha possuem o tal do instinto materno.

“Esse comportamento da galinha é chamado de habilidade materna. É a capacidade que o animal tem de abrigar e proteger seus filhotes, mesmo os adotados, como é esse caso. A gente vê nitidamente o gesto de amor e carinho que ela tem com os filhotes”, explicou.

“A cachorra não mexeu com os ovos da galinha, nem a galinha mexeu com os filhos da cachorra, elas se tornaram amigas”, confluiu Francisca.

E ainda tem mais:

Quando a cachorra sai para se alimentar, quem fica cuidando dos filhotes é a “mãe” galinha.

Com informações G1
Fotos: arquivo pessoal

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

  1. Uma lição para humanos que brigam e até matam e morrem por qualquer “toma lá, dá cá aquela palha”.Agora a dica para a Francisca é castrar a Joaquina após o aleitamento porque se “de grão em grão a galinha enche o papo”, de oito em oito a Joaquina vai acabar no sufoco pra arranjar outra babá quase perfeita que aceite as ninhadas de cachorro junto com os ovos dos futuros pintinhos, no seu pedaço, na boa. Ninguém merece.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here