Depois de São Paulo negociar com a China, o governo do Paraná procurou a Rússia para produzir produzir no Estado a vacina russa contra a Covid-19.

A vacina imunizante russa teve resultados positivos em testes etapas preliminares, indicando assim a segurança e a provável reação imune que o antígeno provoca no organismo humano contra o novo coronavírus.

O Paraná pretende assinar um acordo de cooperação técnica com o país da última Copa do Mundo para a produção da eventual vacina em território paranaense.

A assinatura do acordo pode ser já no próximo mês de agosto.

O embaixador da Rússia no Brasil, Segey Akopov, deve ser reunir na primeira semana do mês com o governador do Paraná, Ratinho Junior.

A expectativa é de que o encontro seja apenas para selar a parceria para a produção da vacina, embora ainda não exista uma previsão para a conclusão dos estudos da mesma.

Os russos anunciaram este mês que o imunizante desenvolvido por lá passou nos testes. Assim, a Rússia passou a ser o primeiro país do mundo a concluir testes em humanos – apesar de não ter recebido algum tipo de certificado da OMS.

“A pesquisa foi concluída e provou que a vacina é segura”, disse Yelena Smolyarchuk, chefe do centro de pesquisa clínica da Universidade Sechenov em entrevista à agência de notícias russa TASS.

Com informações R7/Estadão
Foto: Sergei Karpukhin / TASS

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here