Quando se trata de desporto, ter força mental é quase tão importante para os atletas quanto a aptidão física. A pressão, problemas pessoais, o ambiente em que vivem: tudo isso pode facilmente tomar proporções incontroláveis. Logo, a resistência mental pode ser uma arma para ajudar a gerir esses problemas e melhorar o rendimento desportivo.

Ao longo deste artigo serão dados alguns exemplos de como o poder da mente é fundamental para potenciar a atividade desportiva.

Photo by jesse orrico on Unsplash

“Quando as coisas ficam difíceis, ficam mesmo difíceis”.

Esta é uma frase bastante comum entre os psicólogos desportivos. Muitos afirmam que quanto mais o atleta deixa-se levar pelos problemas que o rodeiam mais facilmente perde o seu rendimento. Por isso, é que atualmente, e para além do treino desportivo, muitos atletas recorrem a sessões de coaching mental para aumentar o seu estado psíquico.

Este tipo de exercícios consegue direcionar e focar o cérebro para a atividade desenvolvida e potenciar o talento e a habilidade, independentemente das circunstâncias.

Além disso, ajudam também na luta contra a pressão de tomar a decisão certa quando estão na sua atividade desportiva. E porquê? Porque existe uma linha ténue entre o sucesso desportivo e o fracasso em momentos decisivos.

A história do desporto mundial está repleta destes exemplos, daqueles que chegaram perto da glória, mas que sucumbiram e não conseguiram aguentar o momento.

No Mundial de Futebol de 1994, quando o italiano Roberto Baggio parte para a grande penalidade decisiva contra a seleção brasileira, não estava só a carregar o peso da decisão, estava também a carregar as emoções e sonhos de uma nação inteira. Se marcasse, a seleção de Itália ainda tinha uma última hipótese de ser campeã do mundo. Se falhasse, a “canarinha” era campeã. E assim foi, Baggio falhou e o Brasil levou a taça.

Este é um exemplo como muito outros, no qual o poder mental facilmente se tornou uma incerteza para o atleta. A capacidade de decisão, o discernimento, o foco, naquele momento nada contou e teve um desfecho terrível.

Contudo, o poder da mente no futebol não se resume apenas a ajudar em momentos decisivos. Neste desporto, o estado mental é uma grande vantagem para o alongar da carreira e manter o foco no bem-estar.

Um exemplo disso mesmo é o jogador japonês Kazu Miura, o jogador mais velho de sempre a jogar num campeonato profissional. Miura tem um lema: corpo são, mente sã. Para ele, nada como o bem-estar da mente para acompanhar o seu estado físico. Miura tem um estilo de vida onde cada momento de descanso serve para refletir, relaxar o corpo e apreciar o melhor da vida.

Esta forma de vida tem sido o segredo do jogador para jogar até aos 53 anos! Equilibrar a mente para que esta consiga responder ao seu corpo quando está em campo a fazer o que mais gosta.

Para além do futebol, existem outros desportos em que a mente pode definir uma simples jogada. Onde é essencial controlar as emoções e ter o foco mental necessário para tomar a decisão mais acertada.

Por exemplo, no poker existem técnicas para treinar o cérebro que possibilitam a um jogador iniciante subir o seu nível e jogar como um profissional. Técnicas essas que são extremamente úteis para perceber o estado da mesa, ler os jogadores e saber quando apostar tudo. O facto de no poker existir a hipótese de fazer “bluff”, nada como manter a serenidade e tentar perceber se este é verdadeiro.

Outros desportos que implicam outro poder mental tremendo são as provas de resistência e distância. Como, por exemplo, o atletismo ou ciclismo.

Photo by Victor Xok on Unsplash

Nestes desportos, não basta uma forma física de excelência. É preciso manter a concentração até ao final de cada prova e aguentar os metros finais. Não é por acaso que se diz que por vezes não é o corpo que está a trabalhar e a aguentar, é a força mental que está a dar o extra para o corpo conseguir aguentar os mais duros obstáculos.

Cada vez mais a psicologia no desporto é uma realidade!

Com efeito, com o aumento da competitividade ao longo dos anos é natural que os atletas trabalhem ainda mais para se diferenciarem.

A psicologia do desporto é então uma ferramenta que dá aos atletas o apoio mental e emocional para lidar com aspetos do seu desempenho físico, incluindo coisas como autoconfiança, concentração e lidar com a pressão. O papel do psicólogo desportivo acaba por ser fundamental para aumentar a confiança de um atleta, além de melhorar a resistência mental por largos períodos de competição.

Caso para dizer, a capacidade de superar o medo do fracasso pode definitivamente ser ensinada através do poder da mente; requer apenas muita força de vontade e capacidade para trabalhar cada canto do cérebro.

<span>Photo by <a href="https://unsplash.com/@jareddrice?utm_source=unsplash&amp;utm_medium=referral&amp;utm_content=creditCopyText">Jared Rice</a> on <a href="https://unsplash.com/?utm_source=unsplash&amp;utm_medium=referral&amp;utm_content=creditCopyText">Unsplash</a></span>
Photo by Jared Rice on Unsplash

Referir por último que, o poder da mente não serve apenas para potenciar o estado dos atletas desportivos. Na vida de cada um existem certamente momentos em que o poder da mente é uma arma para garantir o bem-estar e aguentar os desafios do dia a dia. Por isso, nada como saber aliviar o stress, procurar momentos de paz, de forma a garantir o equilíbrio perfeito.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here