Um balanço divulgado pelo CNJ, Conselho Nacional de Justiça, trouxa a boa notícia que 10 mil crianças e adolescentes foram adotados nos últimos cinco anos no país.

É o número para ser comemorado e muito, ainda que existam 5 mil na fila de adoção e mais 34 mil na fila de pretendentes. Apesar da intensa burocracia – o tempo médio para adoção hoje no Brasil é de 4 anos e 3 meses, os números mostram o crescimento no interesse do brasileiro em adotar, em fornecer um lar para quem nunca teve.

Outro dado importante é que, mesmo com esse crescimento no número de adoções, a maioria das pessoas ainda preferem crianças pequenas, o que acaba deixando muitos adolescentes na fila de espera.

Abaixo, os dados oficiais sobre adoção no Brasil:

51% são de crianças de até 3 anos
27% são de crianças de 4 até 7 anos
15% são de crianças de 8 até 11 anos e
6% são de adolescentes acima de 12 anos.

Os dados foram apresentados pelo CNJ para relembrar as pessoas do Dia Nacional da Adoção, que aconteceu na última semana.

No ano passado, o CNJ deu um importante passo para acelerar e contabilizar as adoções de um jeito mais eficiente quando lançaram o Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento, um portal que concentra informações de instituições de acolhimento de crianças e adolescentes abrigados por todo o território nacional, ajudando os juízes de varas da infância do Brasil na condução de processos de adoção.

Com a nova plataforma, a busca de pretendentes para crianças aptas a adoção é feita através de um sistema totalmente automatizado.

O programa tem várias funções, tais como emitir alertas sobre os prazos processuais das adoções e atualizações de cadastro no site.

Com informações Agência Brasil
Imagem de capa:
Gabe Pierce via Unplash

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here