Segundo as estudantes, a bactéria poderia ser colocada nos oceanos para eliminar grandes quantidades de microplástico que afetam a fauna marinha sem afetar o meio ambiente e outros seres vivos.

A poluição dos oceanos é um problema sério que tende a piorar e muito nos próximos anos. Atualmente, 8 milhões de toneladas de plástico são lançadas por ano nos oceanos, ficando quase impossível de processar o seu impacto. Além disso, estima-se que até 2050 teremos mais plástico nos oceanos do que vida marinha.

Em busca de uma saída para esse grave e iminente problema, duas universitárias estão desenvolvendo uma bactéria será capaz de degradar o material, sem prejudicar o meio ambiente.

Miranda Wang e Jeanny Yao moram em Vancouver, no Canadá, e têm trabalhado na possibilidade desde que estudavam juntas no ensino médio. Em 2013, elas já estavam dando palestras mundo afora sobre o seu estudo, que inclusive já recebeu incentivos financeiros e ganhou prêmios por conta da sua inovação tecnológica.

O objetivo de ambas é criar uma bactéria que se alimenta unicamente de resíduos plásticos, devolvendo ao oceano através de e CO2. O sistema funcionaria em duas etapas: na primeira, o plástico se dissolve com solventes e as bactérias entram em ação. Estima-se que cada litro de solução bacteriana possa remover cerca de nove gramas de plástico.

As duas testaram o produto em 2016 com êxito e agora aguardam para que ele seja comercialmente viável dentro de poucos anos. Wang acredita que o plástico é um material essencial e que mesmo com a iniciativa de vários países em não utilizá-lo, dificilmente ele será deixado de lado, logo é necessário uma saída urgente e biodegradável.

Vamos torcer pra isso se tornar realidade logo!

Com informações Nation

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here