Segundo Jean Piaget (um dos especialista mais respeitados do mundo no campo da educação), as crianças precisam experimentar o mundo ao seu redor antes de ganharem um celular. As interações cara a cara ainda é a principal fonte de conhecimento.

O crescimento de uma criança é complexo. Todos os anos, inúmeros estudos tentam desvendar qual é a melhor maneira de educar uma criança e, embora tenhamos uma ideia de certo para educarmos elas, a verdade é que não existe um manual específico para tal.

Cada um faz o melhor que pode sendo, na medida do possível, o tipo de pai e mãe mais saudável possível para guiar os filhos para caminhos com valores e comportamentos sólidos e benéficos para a sociedade. Mas recentemente, um renomado psicólogo infantil chamado David De Cubas, fez algumas declarações controversas sobre o assunto:

Getty Images

“Dar um celular a uma criança com menos de 10 anos é um ato sério de irresponsabilidade familiar. dispositivos móveis geram dopamina, um neurotransmissor que produz prazer rapidamente. Em alguns casos, pode até levar a um vício que acaba promovendo comportamentos agressivos em situações que exigem algum tipo de esforço pessoal ou quando seu uso é proibido”, afirma o especialista, segundo La Razón.

Cubas conclui que o cérebro da criança ainda não está maduro o suficiente para ser exposto a celular, pois ele pode desencadear comportamentos futuros perturbadores, inclusive afetando o seu desempenho acadêmico.

“Faz com que comportamentos impulsivos apareçam, eles podem se tornar desafiadores e intolerantes e causa constantes mudanças de humor.” – David de Cubas

Além disso, existe uma teoria de Jean Piaget citada em estudo que diz que o cérebro das crianças cresce com base na experiência vivida e que torna prejudicial colocá-las diante de tablet ou celular ainda com tão poucos anos, considerando que eles capturam conceitos através da comunicação cara a cara.

“Eles (crianças) aprendem a língua, aprendem sobre suas próprias emoções, aprendem como regulá-las. Eles aprendem nos observando como ter uma conversa, como ler as expressões faciais de outras pessoas. E se isso não estiver acontecendo, as crianças estão perdendo marcos importantes do desenvolvimento”, Dra. Jenny Radesky, do Boston Medical Center.

É por isso que a responsabilidade de dar o exemplo com os telefones celulares também está do nosso lado, do lado dos pais e mães, poupando-os quando necessário e incentivando para que eles interajam. Você não precisa negar o uso, é importante controlar o tempo e a hora apropriada para.

Essas são conclusões baseadas no que dizem grandes especialistas, mas no fim a decisão cabe a cada um saber a melhor forma de educar os próprios filhos.

Com informações do portal La Razón

COMPARTILHAR

LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here