Ao longo dos anos, os vaga-lumes perderam seu habitat natural e a quantidade do uso de pesticidas prejudicou severamente a sua espécie. Agora, segundo um estudo da Universidade Tuftsa revelou, a própria luz artificial é outra ameaça séria para eles. Os vaga-lumes correm risco de extinção. Estamos mesmo destruindo tudo na natureza?

Vaga-lumes são da espécie lampyrids, que possuem a capacidade de emitirem luz. Eles vivem principalmente em pântanos, áreas úmidas e áreas de floresta, lugares onde suas larvas conseguem alimento de forma abundante. A Ásia e certas partes da América têm sido sua casa ao longo das últimas décadas, mas agora eles podem estar em perigo, e de extinção.

Um estudo divulgado pela Universidade Tufts (Estados Unidos), revelou que a poluição luminosa poderia afetar seriamente esses insetos. A perda do seu habitat junto do uso excessivo de pesticidas podem estar contribuindo para uma rápida extinção da espécie.

Imagen referencial – Pixabay

No mundo inteiro, existem mais de 2 mil espécies de vaga-lumes, das quais infelizmente muitas hoje estão sendo ameaçadas da extinção.

Em segundo plano, uma equipe liderada pela professora Sara Lewis, da própria Universidade Tufts, associada à União Internacional para a Conservação da Natureza, conduziu um estudo para avaliar as ameaças enfrentadas para que encontrem alguma forma de sobrevivência de algumas espécies locais de vaga-lumes.

Lewis explicou e exemplificou os resultados dos estudos, segundo o canal CNN, através do vaga-lume da Malásia. Ela viu a perda exponencial de seu habitat, manguezais e plantas que o contêm, porque acabaram por se tornarem plantações de óleo de palma e outras fazendas.

É um exemplo claro e considerável. Os vaga-lumes estão perdendo a sua casa e estão ficando sem terem como encontrar um novo lar.

Imagen referencial – Pixabay

Além disso, a luz artificial cresceu exponencialmente nas últimas décadas, mesmo à noite. Luzes nas ruas, em casas, em todas as cidades, dia e noite. Querendo ou não, isso causa danos terríveis para os vaga-lumes.

“Além de alterar os biorritmos naturais, incluindo o nosso, a poluição luminosa realmente destrói os rituais de acasalamento dos vaga-lumes.” explicou Avalon Owens, médico de biologia da Tufts e co-autor do estudo.

A bioluminescência é a reação química que permite o vaga-lume de acender, e ocorre dentro do corpo mas, com esse panorama atual, é difícil alcançar esse estado. Mesmo as lâmpadas LED não ajudam a resolver o problema, elas causam o mesmo dano que luzes correntes.

Recentemente, alguns cientistas escreveram sobre o tal “apocalipse silencioso” que os insetos enfrentam em geral. Uma questão de que os vaga-lumes não estão excluídos.

Imagen referencial – Pixabay

“O documento do vaga-lume destacou o risco de inseticidas, como os neonicotinóides, usados ​​nos Estados Unidos para milho e soja”. Destaca o site da CNN

As preocupações já estão instaladas no mundo científico, agora é necessário tomar medidas, ações e tudo o que possa ser feito para servir e conservar essa bela espécie.

Com informações CNN

COMPARTILHAR

LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here