Um grupo de jovens estudantes mexicano criaram uma máquina que é uma espécie nuvem artificial capaz de transformar o ar em água potável, graças ao processo de condensação. A produção chega a 5.000 litros de água potável por dia.

Os responsáveis são os engenheiros Mauricio Bonilla e Gastón Islas, que fundaram a Innovaqua em 2012, uma empresa que resolve o problema da escassez de líquidos potáveis por meio de tecnologia e inovação.

A Nube, ou nuvem em espanhol, é uma máquina conectada à corrente elétrica e, graças ao processo de condensação, simplesmente produz água.

Bonilla explica que ele faz isso da mesma maneira que quando pegamos uma garrafa de vidro ou plástico e está muito frio e começa a suar com a mudança de temperatura que nossas mãos e a garrafa possuem de diferente.

O dispositivo pode produzir até 30 litros por dia em sua versão doméstica e até 5.000 litros se levado para a linha industrial.

Uma máquina NUBE doméstica custa hoje 30 mil pesos, cerca de 2 mil reais, mas os consumidores podem comprá-la por até 2 mil pesos mensais, em torno de 136 reais, no site da Amazon.

As pessoas que consumirem a água da nuvem estarão bebendo água alcalina e ionizada.

Isso representa muitos benefícios à saúde, porque nossa dieta geralmente é ácida devido ao consumo de café, refrigerantes e carboidratos, e o ideal para o corpo humano é receber PH alcalino que já produz por conta própria, mas que diminui com o consumo dessas bebidas e alimentos.

Além disso, a poluição existente no ar não afeta em absolutamente nada a pureza da água.

A máquina possui filtros que permitem apenas a passagem do hidrogênio e do oxigênio, os elementos que compõem o H2O.

A máquina é um produto que, além de não prejudicar o meio ambiente, ainda ajuda a reduzir bastante o excesso de plástico PET e também reduz os custos com água purificada.

Mauricio lembra que a ideia surgiu quando estava estudando em Monterrey e o Aqueduto da Independência foi construído para transportar a água de Ciudad Obregón para Hermosillo, capital de Sonora.

“Não conseguimos entender como eles estavam construindo um aqueduto que custa milhões de dólares se havia outras maneiras de resolver a escassez de água”, disse Bonilla.

Os empreendedores acreditavam que esse tipo de projeto não atacava ou resolvia a raiz do problema e por isso decidiram investigar o que estava sendo feito em outras partes do mundo. Foi assim que descobriram que a solução estava no processo de condensação.

Os jovens então se uniram para criar uma tecnologia capaz de resolver o problema da escassez de água doce para consumo humano.

Eles lembram que projeto começou com dinheiro próprio e empréstimos pessoais, mas em 2014 o BanRegio, banco regional mexicano, investiu na ideia por meio de um programa de mentoria, que os ajudou a crescer exponencialmente.

Durante os cinco anos seguintes, a equipe de Innovaqua recebeu a tarefa de divulgar a invenção ao mercado pra ensinar para as pessoas que a água pode ser feita do ar.

“Tivemos várias ideias, iniciativas, atividades e ativações para divulgar isso”, fiz Bonilla.

A ideia de Bonilla é que agora em 2020, a Innovaqua esteja na casa de todos os mexicanos e seja tão importante quanto um refrigerador, um fogão ou uma máquina de lavar.

Para comprar a máquina, entre no site da empresa. Eles entregam para o mundo inteiro:

Veja como funciona no vídeo abaixo:

Com informações do Nation

COMPARTILHAR

LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here