A gente se culpa muito e acaba carregando peso demais aqui dentro. Os dias são corridos e sobra pouco tempo para fazer algo além daquilo a que somos obrigados. Falta tempo, inclusive, para pensar no outro. Talvez, por isso, um dos melhores favores que podemos fazer a nós mesmos é não nos culparmos além da conta, além do que realmente deve ser refletido e mudado.

Hoje, há um egoísmo tão grande permeando os relacionamentos, os ambientes de trabalho, as redes sociais, as opiniões e comportamentos das pessoas, que chegamos a nos sentir mal quando tomamos decisões que nos colocam em primeiro lugar. Até que ponto pensar em si mesmo é egoísmo? Ponderar o que se trata de egocentrismo e o que vem a ser instinto de sobrevivência é preciso, ou jamais conseguiremos alimentar a nossa tão carente autoestima.

Na verdade, um pouco de egoísmo é saudável, ou nunca nos reabasteceremos emocionalmente. Existirão momentos que nos obrigarão a ser quem diz não, quem é antipático, quem diz o que vai doer. Se a gente sempre poupar o outro, em detrimento de nosso bem estar, adoeceremos em pouco tempo. É preciso colocar limites, para que o outro se limite, para que o outro se enxergue e não ultrapasse os contornos de nossa dignidade. Como dizem, se você se colocar sempre em segundo lugar, todo mundo vai aprender que você vem em segundo.

Logicamente, não poderemos somente pensar em nós mesmos, o tempo todo, uma vez que não vivemos isolados feito ilhas, porém, o nosso eu não pode ser negligenciado continuamente para que sejam supridas tão somente as necessidades dos outros. Ajudar faz bem, fazer caridade traz conforto, ser solidário acrescenta humanidade às pessoas, mas isso não quer dizer que devemos nos esquecer de nós mesmos nesse caminho. Aliás, se não estivermos bem por dentro, não conseguiremos ajudar ninguém lá fora.

Coloque-se em primeiro plano, sempre que o seu coração der sinais, sempre que sua alma estiver cansada, sempre que perceber o quanto suas forças estão se esvaindo. Em certos momentos, precisaremos nos esquecer do que gostamos, para ajudar quem amamos, para solidarizar com a dor alheia, para nos sentirmos bem. No entanto, a vida pede calma e saber se reguardar na hora certa nos evitará cair de exaustão. Seja altruísta, mas não a ponto de perder-se de si mesmo, afinal, você é a pessoa mais importante de sua vida. Sem você, nada mais terá sentido.

***
Photo by Greg Raines on Unsplash

COMPARTILHAR

LIVRO NOVO




Marcel Camargo
"Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here