A produção é disparada na frente de outros sucessos da Netflix, como Stranger Things e La Casa de Papel. Também, com Tom Ellis de Lucifer, sinceramente, não tem nem discussão.

Netflix pode encerrar 2019 ainda se dizendo a dona de tudo quando se trata de produções via streaming. A empresa continua a acumular sucessos, e fecha o ano com Luficer como a série mais assistida do mundo (produção que agora a plataforma).

No começo, durante suas três primeiras temporadas, a série estrelada por Tom Ellis era da FOX, mas cancelaram a atração para o seu quarto ano. Foi quando a Netflix (que já havia comprado parte de seus direitos para disponibilizá-lo em seu serviço) decidiu resgatar e continuar a série, estendo-a para mais 2 temporadas. A quarta que foi lançada em maio deste ano, e a última, que chegará em 2020 divida em duas partes.

Foi a TV Time a responsável por divulgar as 20 principais séries mais vistas por streaming em todo o mundo. A Netflix tem simplesmente 19 produções, com apenas uma da plataforma Hulu em sexto lugar, com The Handmaid´s Tale. Abaixo a lista completa:

TV Time

Ainda que o crescimento de outros serviços como a Amazon Prime e o surgimento da Disney +, era de se esperar que essas pouco fizessem a diferença já em 2019. Talvez no ano que vem a Netflix não seja mais tão predominante, mas por enquanto, ela pode e deve comemorar o feito.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

2 COMENTÁRIOS

  1. Como assim ela é “eleita”? Dá pra medir o tráfego de streaming, e, pelo texto da matéria, foi isso que foi feito. O título é bizarro e não faz sentido.

  2. Título ridículo!!!
    Tenho vergonha alheia de quem faz esse tipo de comentário.
    A série Lúcifer é interessante por mexer nos conceitos pre estabelecidos, de bem e mal.
    E qualquer pessoa que já tenha passado da “ebulição hormonal” da adolescência perceberia isso.
    Me pergunto pq a criatura que escreveu isso ainda tem emprego, com tantos jornalistas “de verdade” no mercado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here