Você já deve ter percebido que há entre nós muitos solteiros casados e muitos casados solteiros.

Inúmeras pessoas vivem relacionamentos longos e quando saem deles, ao menos por um tempo, agem como se ainda estivessem dentro de uma relação. Repetem padrões até perceberem que estão livres para amar e se aventurar por outros caminhos.

Há ainda aqueles que viveram um amor avassalador e por conta desse amor decidiram fechar o coração para o mundo. Poucos agradam essas pessoas e é comum que elas achem um milhão de defeitos no outro para não darem certo com absolutamente ninguém. É que o coração ainda está casado com um amor antigo.

Tanto no caso de quem amou e se machucou quanto no de quem viveu o esplendor do amor, a memória de outra pessoa, boa ou ruim, ainda está muito viva.

O solteiro casado que saiu de uma relação longa geralmente está repleto de memórias doloridas do amor e o solteiro que um dia amou alguém alucinadamente ainda não se desligou da ideia de amor perfeito. E ambos não estão realmente preparados para amar de novo. O status para o mundo é solteiro ou separado, mas na realidade deveria ser fechado para balanço.

O coração desses solteiros casados está preso às experiências doloridas ou expectativas irreais. Então, independentemente de qualquer coisa é provável que no máximo haja entre vocês uma boa amizade.

Há também no mundo muitos casados solteiros. Pessoas que vivem ao lado de alguém, mas se portam como se não estivessem ao lado de ninguém. Essas pessoas são numerosas. Elas guardam as alianças nos bolsos. Escondem a foto do dia do casamento. Olham para outros lados e não sentem culpa alguma em buscar outras pessoas para “brincar” de amar.

É que o coração dessas pessoas está solteiro. De alguma forma elas encenaram a peça da vida, mas não entraram no papel. Guardaram uma carta na manga. Trapacearam no jogo do amor. O status para o mundo diz “casado”, mas o status do coração é outro.


É preciso saber ver além. É preciso saber entender que no mundo as coisas nem sempre são como parecem. É preciso entender o real status do coração para estar preparado para o que pode vir.

É preciso saber ler as pessoas antes de entrar em uma história que guarda lugar para outros personagens. É preciso saber o que se busca para não se decepcionar. É preciso ponderar e decidir qual rumo tomar.

Independente da sua decisão, a espera quase sempre não é uma boa escolha. O coração quando está pronto se declara. O coração que está aberto bate mais forte. O coração livre acredita que todo amor é maior que qualquer dor.

A decisão sempre será sua. Não diga que você não sabia. As arestas desse triângulo amoroso, real ou emocional, podem doer pra valer, mas apenas você pode decidir se está realmente com disposição para entrar nessa.

***

Siga a autora Vanelli Doratioto em Alcova Moderna

Foto de Toa Heftiba em Unsplash

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




Vanelli Doratioto
Vanelli Doratioto é especialista em Neurociências e Comportamento. Escritora paulista, amante de museus, livros e pinturas que se deixa encantar facilmente pelo que há de mais genuíno nas pessoas. Ela acredita que palavras são mágicas, que através delas pode trazer pessoas, conceitos e lugares para bem pertinho do coração.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here