Ana Maria Pontelo Moreira queria ser mãe e fez tudo certinho para conseguir adotar. Mas a longa espera na fila de adoção (desde 2013), fez com que ela tentasse uma fertilização in vitro. Deu certo e mesmo aos 61 anos, ela agora é a mãe mais feliz do mundo.

Ia, como ela decidiu chamar o bebê, nasceu na semana passada com 47,5 centímetros e 3,4 quilos.

Ele e a mãe passam bem.

Mas até esse dia tão lido, uma luta precisou ser travada. Depois de esperar por anos na fila de adoção, Ana precisou entrar na Justiça para realizar o procedimento de fertilização in vitro, que é liberado para mulheres até 50 anos. Após conseguir a liberação na justiça, Ana seguiu todos os procedimentos e teve acompanhamento médico durante toda a gravidez.

Ana contou que a gravidez foi tranquila, mesmo para a sua idade, e que tirando uma diabetes gestacional resolvida com cuidados na alimentação e de dores na coluna, o restante dentro da normalidade. Ian nasceu de cesariana.

Ana quis ser mãe tarde por diferentes motivos, dentre eles concluir os seus estudos e também ter uma estrutura financeira que lhe permitisse arcar com todas as responsabilidades e também confortos de se querer ter uma criança em casa.

“Fiquei muito feliz quando soube que estava grávida. Realizei o meu sonho”, disse sorrindo.

Com informações do GazetaDoPovo

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here