O último GP do Brasil de Fórmula 1 foi nostálgico, emocionante e inesperado para os fãs do esporte e do nosso tricampeão Ayrton Senna. Isso porque o seu sobrinho, Bruno Senna, homenageou o tio ao andar com o mesmo carro e capacete na pista de Interlagos, onde todo mundo lembra da música e do Galvão Bueno gritando quando Ayrton cruzava a linha de chegada.

25 anos após o trágico acidente que tirou a vida do tricampeão mundial de Fórmula 1, Bruno deu algumas voltas com a mesma McLaren usada por Ayrton na temporada que lhe rendeu o título de 1988, antes do GP do Brasil, levando o público ao delírio no autódromo.

Usando também o mesmo o capacete que Ayrton tinha como característico e também com a bandeira brasileira na mão, assim como o tio fazia quando vencia, Bruno emocionou o público presente e fez todos voltar no tempo.

O público gritou e cantou em homenagem ao ídolo: “Olê, olê, olá… Senna! Senna!”.

Essa foi a primeira desde a morte de Ayrton que clássica McLaren esteve em Interlagos.

A McLaren daquele ano é considerada por muitos especialistas da Fórmula 1 como sendo o melhor carro de todos os tempos.

Naquela temporada de 1988, a McLaren pilotada por Senna conquistou 15 dos 16 GPs disputados (oito com Senna e sete com o francês Alain Prost).

Além da volta dada por Bruno, o carro pode ser visto de perto pelos presentes já que ficou exposto no Setor H de Interlagos.

Além do carro e do capacete, a exposição “improvisada” também contou com macacões, troféus e outros itens do acervo particular do Instituto Ayrton Senna. Sem contar a exata réplica do kart usado por Ayrton ainda no início da carreira.

Com informações da IstoÉ

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui