Para qualquer criança, especialmente as menores, o menor dos problemas pode desencadear o suficiente para que seu mundo desabe. No caso de LJ Compton, de 8 anos, as coisas ainda são mais delicadas, uma vez que o garoto tem síndrome de Down e autismo.

Há alguns dias, o ônibus escolar de LJ chegou bastante atrasado no colégio, o Garfield Elementary School em Marion, Ohio (EUA). Quando isso aconteceu, LJ teve dificuldade para processar seus sentimentos.

Mesmo morando do lado de uma escola, a mãe de LJ, Stephane, escolheu o colégio Garfield por causa do cuidado, carinho e atenção que os professores de lá sempre demonstraram para com o seu filho.

Ela explica que LJ é um menino muito feliz, que quase sempre está sorrindo, mas que às vezes ele absorve demais as situações ao seu redor e eventualmente tem uma crise.

Esse foi um daqueles dias e Stephane não estava com ele. Felizmente, alguém esteve!

A mãe só ficou sabendo o que aconteceu quando viu no Facebook uma foto postada por Amber McKinniss, uma estudante do mesmo colégio que LJ que escreveu na legenda: “Eu apenas tive que tirar essa foto. Foi a coisa mais incrível que já vi!”.

Deitado no chão da calçada ao lado do seu filho, estava John Smith, um professor da casa há alguns anos e recém nomeado o novo diretor assistente da escola. Smith é mais do que um mero educador, mas um exemplo de ser humano. Ele não hesitou em fazer companhia ao garoto, deitando no chão ao lado dele e, com o tempo, o deixando mais calmo e tranquilo até que a crise passasse.

A foto obviamente se tornou viral nas redes sociais, e logo todos estavam compartilhando elogios e a publicação em si sobre John e sua dedicação à escola e alunos, buscando sempre proporcionar um ambiente agradável para todos por lá.

“Sr. Smith é o melhor professor!”, escreveu um dos seus alunos. “Que bom que ele se tornou diretor! Que cara legal!”. Noutro comentário: “Sr. Smith é um dos meus professores favoritos. Adoro ele.”

Foi por causa desse e muitos outros momentos que a decisão de Stephane em levar o filho para uma escola um pouco mais longe acabou sendo acertada: “É realmente incrível saber do ponto de vista dos pais que existem pessoas que se preocupam muito com seu filho”, disse ela.

John Smith é um professor que entende com clareza e empatia que todas as crianças precisam de tempo e conforto para processar seus sentimentos. Ele não teve medo ou qualquer tipo de receio de se sujar ou parecer tolo por ter feito companhia e conversado com LJ até que ele se acalmasse. Que exemplo!

Com informações Inspire More/Fotos: Reprodução/Facebook

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here