A realidade dos animais enjaulados é muito triste e humilhante. Os zoológicos são locais que buscam a preservação das espécies, porém muitas vezes eles não possuem grandes áreas ou mesmo apropriadas para certos animais e é comum que visitá-los nos traga uma tristeza profunda.

Felizmente, um zoológico na China encontrou uma nova abordagem e uma maneira incomum de aproximar as pessoas da vida selvagem sem deixar os animais presos.

Como muitos zoológicos fecharam suas portas nos últimos tempos, outros estão encontrando novas maneiras de os seres humanos verem os animais do mundo de uma maneira diferente e mais livre para eles.

O zoológico chamado Lehe Ledu Wildfire Zoo, localizado na China, oferece às pessoas a chance de ver criaturas selvagens vagando livremente. Só que em vez de limitar os animais a pequenas gaiolas, são as pessoas que ficam nelas. Os visitantes são conduzidos pelo parque em um veículo fechado com uma cerca, enquanto os predadores mais ferozes do mundo, incluindo tigres de bengala, tigres brancos, leões e ursos espreitam como presas.

Mas isso não é tudo. Este zoológico ainda é especial porque as gaiolas nas quais os visitantes viajam têm uma isca presa. Existem pedaços de carne, incluindo galinhas inteiras, amarradas à parte externa das gaiolas para atrair os animais.

Existem até pequenas aberturas pelas quais as pessoas podem alimentar alguns dos animais mais exóticos. Neste zoológico, em vez de ver os animais numa distância segura, eles ficam extremamente próximos e praticamente comem próximo da sua mão.

Chan Llang, porta-voz do local, explicou:

“Queríamos dar aos nossos visitantes a emoção de serem assediados e atacados por grandes felinos, mas, é claro, sem os riscos disso. Os hóspedes são avisados ​​para manter os dedos e as mãos dentro da gaiola o tempo todo, porque um tigre faminto não saberia a diferença entre eles e o café da manhã.

As pessoas adoraram o conceito, que atraiu turistas de todo o país, bem como turistas internacionais.

Do site Nation, tradução e edição A Soma de Todos os Afetos

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

  1. Um zoo diferente que continua sendo um local de exploração animal, já que animais estão convivendo com humanos em situação muito diversa de seu Habitat. Iscas para atraí-los, simulando um ataque, nada disso representa a realidade dos bichos, que sabem caçar muito bem, mas escolhem a presa, o lugar e a hora certa, sem essa palhaçada de galinhas inteiras penduradas em uma cerca porque os “enjaulados” pagaram uma nota preta para sentir esse “frisson” de quanto mais perto melhor.Turistas amam sensações diferentes, não importa quanto custe, é preciso gozar o tempo livre, e não admitem que suas férias se transformem em rotina, esse bicho papão deles, por isso curtem adoidado essa loucura e, depois dessa, outras. Claro, este é um zoológico “melhorzinho” do que os campos de concentração, onde animais que foram raptados de sua amada floresta, são feitos prisioneiros para sempre, a fim de que famílias inteiras nos feriados e domingos, possam apreciar a tristeza deles, comendo pipoca e chupando picolé. Porém empresários humanos não “dão ponto sem nó”, não, e, quando são “bonzinhos” com os animais é porque vale apenas investir neles, porque o lucro é certo. A diferença é que pessoas enjauladas poderão voltar para casa e/ou curtir uma noitada na boa enquanto que, nos Zoos do inferno, animais são prisioneiros, vinte e quatro horas por dia, por anos inteiros, até que a bendita morte os liberte deste mundo surreal de desvarios, crimes e delírios, que não é o deles.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here