A maneira como você vê os outros pode revelar muito sobre seu próprio caráter e personalidade. De acordo com o “Journal of Personality and Social Psychology”, as pessoas que classificam os outros como honestas, agradáveis ​​e estáveis ​​são aquelas que sentem a maior satisfação em suas vidas. Por outro lado, aqueles que têm opiniões negativas de seus pares são precisamente os mais antissociáveis, narcisistas e desagradáveis.

Neste estudo também foi provado que as pessoas que avaliam seus colegas de classe sofrem menos transtornos de depressão e ansiedade. Pelo contrário, as pessoas que são excessivamente críticas em relação aos outros têm maior probabilidade de sofrer de distúrbios de personalidade, especialmente distúrbios paranoides ou antissociais.

Especificamente, no distúrbio da personalidade paranoide, a característica essencial é um padrão de desconfiança e desconfiança geral em relação aos outros, de modo que suas intenções são interpretadas como maliciosas. Por sua vez, isso implica que as pessoas com esse distúrbio interpretam mensagens neutras ou positivas, como ofensas, provocações, desprezo, etc. Quando em dúvida sobre a intenção do outro, um paranoico escolherá a opção mais desfavorável. Isto é, aquele que interpreta o que o outro fez ou disse como um ataque.

Deixando os transtornos de personalidade de lado, há sempre alguém que vive criticando tudo e todos. Em cada um dos nossos ambientes existe alguém que pensa que o mundo está cheio de pessoas más. De acordo com este estudo, independentemente de você estar certo ou não, esse pensamento provavelmente não contribui precisamente para a sua felicidade. Além disso, o natural é que ele é uma pessoa indescritível e desconfiada.

«Nós não vemos os outros como eles são, mas como somos» -Immanuel Kant-

Somos espelhos

O exterior age como um espelho para nossa mente, nele vemos refletidas diferentes qualidades ou aspectos de nosso próprio ser. Quando observamos algo que não gostamos de alguém e sentimos rejeição, de alguma forma, esse aspecto de que não gostamos pode existir dentro de nós. Além disso, essa rejeição só pode ser o reflexo da rejeição que sentimos por algo que somos.

Também é possível que nosso inconsciente, ajudado por nossa projeção, nos faça pensar que o defeito existe apenas “lá fora” naquela outra pessoa. A projeção psicológica é um mecanismo de defesa através do qual uma pessoa atribui a outros sentimentos, pensamentos ou impulsos que ele nega ou é inaceitável para si mesmo.

Este mecanismo é implementado em situações de conflito emocional ou quando nos sentimos ameaçados internamente ou externamente. Para reduzir nosso desconforto interno, focalizamos no exterior todas as qualidades que não aceitamos, atribuindo-as a um objeto ou sujeito externo a nós mesmos. Desta forma, nossa mente aparentemente consegue colocar esses conteúdos ameaçadores e lutar no mundo real contra eles.

A projeção psicológica é um mecanismo de defesa mental pelo qual o sujeito atribui a outras pessoas suas próprias virtudes e defeitos.

Uma boa parte do que incomoda você nos outros é apenas uma projeção

O mundo interior tende a tingir o mundo exterior com suas próprias características. Assim, por exemplo, se nos sentimos muito felizes, costumamos olhar para o mundo à nossa volta com otimismo e alegria, expressando-nos com frases como “hoje a vida sorri para mim”, “que dia feliz”.

Obviamente, nem o dia é feliz nem a vida sorri para ninguém. Essas qualidades são realmente subjetivas e somos nós que as tiramos. O processo de projeção é inerente ao funcionamento mental humano e, portanto, nos ajuda a sentir e pensar o mundo como algo humanizado.

Muitas vezes, o que achamos difícil nos outros é precisamente o que não resolvemos em nós mesmos. Se tivéssemos inicialmente resolvido, nunca se tornaria um problema crônico. Nesses casos, a aceitação de nossas sombras e meditação nos ajudará a nos conhecer melhor e a integrar mais de uma perspectiva antes de passarmos a interpretações.

Artigo extraído do site La Mente es Maravillosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here