Definitivamente ao longo de nossas vidas surgem situações difíceis, pessoas complicadas, momentos dos quais simplesmente queremos escapar e muitas vezes a atenção que damos a essas coisas circunstanciais determina em grande parte quão longe ou perto estamos de um estado de paz e tranquilidade.

Aprender a ignorar não significa que nos tornamos pessoas intolerantes e covardes que dão as costas para tudo o que devem enfrentar, deixam de lado nossas responsabilidades ou descartando algumas pessoas porque causam algum desconforto. Aprender a ignorar é uma estratégia poderosa que podemos usar em nossas vidas sempre que estivermos em uma situação que ameace nosso estado natural de harmonia, nosso equilíbrio emocional.

A ideia é ter equilíbrio e equânime diante de várias situações e não permitir que elas nos afetem muito, não permitir que elas nos façam perder o controle e muito menos nos tornar infelizes.

Qual é a primeira coisa que devemos aprender a ignorar? Nossos pensamentos negativos. Eles são definitivamente aqueles que tornam nossas vidas tristes, aqueles que nos deixam com raiva e nos fazem sentir miseráveis ​​em muitas ocasiões, ao fazer isso, simplesmente subtraímos a força de situações desagradáveis ​​que na maioria das vezes só ocorrem em nossa mente e podemos ver a vida com uma visão mais de acordo com a gente.

Uma vez que tenhamos controle sobre nossos pensamentos e possamos ignorar aquelas nuvens negras que passam por nós e quisermos lançar uma tempestade imaginária inteira, podemos facilmente ignorar o resto das situações que nos afetam e que de alguma forma não ganhamos nada por tê-las ou fazê-las presente em nossas vidas e muito provavelmente não é necessário, pois controlando nossos pensamentos e filtrando-os consciente e deliberadamente, veremos como tudo o mais começa a ser resolvido.

Quanto mais pensamos em um problema, uma pessoa que nos incomoda, uma situação que acreditamos estar além do nosso controle ou algo que gera qualquer emoção ou sentimento negativo, mais problemas isso nos trará. Nossa mente tem o poder de complicar tudo, mas quando a fazemos funcionar como nossa ferramenta construtiva ao invés de destrutiva, teremos o principal recurso para nos aproximarmos de nossa felicidade.

Tendo uma mente clara e limpa em pensamentos tóxicos, teremos critérios maiores para filtrar o que entra e sai de nossas vidas, para pagar ou minimizar e cuidar de uma situação e, consequentemente, teremos um ambiente alinhado com nosso interior, com um nível de consciência que nos permite construir a vida que queremos, cercada pelo melhor e mais conveniente para o nosso desenvolvimento e nosso bem-estar.

Adaptado e editado do site Rincón del Tibet
Imagem de capa: Pexels

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here