Acho que parte da emoção da vida é crescer, aprender e às vezes enfrentar desafios que nos fazem lutar um pouco, para que possamos aproveitar melhor o sabor do resultado.

As pessoas perfeitas levariam uma vida chata, porque não teriam desafios nem lições para aprender, mas acima de tudo, ficariam frustradas quando tentassem alcançar algo que não existe. Hoje quero que você se pergunte: você prefere ser perfeito ou ser feliz? Te convido a meditar sobre o que vou dizer nas linhas seguintes.

Perfeição no trabalho, na escola, com o seu parceiro, no seu próprio corpo … tudo isso distorce a nossa realidade e os nossos valores. Quando buscamos a perfeição, sentimos que algo está faltando e isso nos impede de sermos felizes. A felicidade em si não é um destino, mas uma jornada cheia de experiências. Por outro lado, a perfeição nos faz ter expectativas tão altas que são impossíveis de satisfazer, que nos enchem de frustração e fazem com que cada um de nossos defeitos pareça maior.

Alguns buscam a perfeição porque sentem que assim conseguirão a apreciação e o respeito daqueles que os rodeiam. Talvez se sintam pressionados porque consideram essas pessoas perfeitas e querem alcançar o mesmo nível. Lembre-se que a perfeição não existe; Eles podem parecer muito, mas sempre há algo que não funciona como esperado e que eles simplesmente não podem controlar. Além disso, o importante não é que você faça essas pessoas felizes, mas que você se sinta feliz sendo você mesmo. Sempre haverá alguém insatisfeito com o que você faz ou com o que você diz, mas você é quem dá valor às suas palavras e você sempre será aquele que tem a decisão final sobre isso.

Todos podemos cometer erros e, em cada um desses deslizes que a vida nos provoca, temos a oportunidade de aprender, valorizar o melhor da situação e encontrar uma solução que provavelmente nos dará felicidade.

No livro “O aprendizado da imperfeição”, escrito pelo psicólogo Tal Ben-Shahar, dá-se peso a uma ideia que me parece maravilhosa: abandonando a perfeição, você será capaz de aceitar o que a vida lhe oferece e conseguir o melhor caminho.

Haverá situações que não podemos enfrentar, mas e quanto a tudo que você pode controlar ou onde você pode brilhar pelo seu talento? Quero dizer, aceitar suas emoções e tirar o melhor proveito delas. Podemos aprender com o fracasso e o sucesso que podemos agradecer. Eu amo essa palavra porque nos faz focar em tudo que é possível para nós.

Ser grato dará mais valor à nossa vida. Um estudo realizado por Robert Emmons e Michael McCullough, psicólogos de grande carreira, mostrou que as pessoas que diariamente pensam de três a cinco coisas que elas eram gratas se sentem melhor do que aquelas que não o fazem. Os psicólogos explicaram o fenômeno ao esclarecer que é porque, quando somos gratos, não precisamos mais de algo extraordinário para sermos felizes e de que até os menores detalhes podem nos excitar.

No momento em que aceitamos que não somos perfeitos e que nunca seremos, sentimos que um enorme fardo não está mais em nós, nos damos a oportunidade de aproveitar cada momento e nos sentirmos cheios.

Eu quero esclarecer que não há nada de errado em tentar se destacar em algo, os sucessos também alimentam nossos corações, mas eles não são tudo. Você está pronto para parar de tentar ser perfeito e ser completamente feliz?

Texto traduzido do site RINCÓN DEL TIBET
Imagem de capa: PEXELS

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here