Nem todos os sentimentos correspondem à realidade dos fatos; algumas pessoas apresentam sentimentos que correspondem apenas à percepção que têm das coisas. Apesar de não ter motivos reais, há sentimentos e emoções que nos tomam como se viessem de uma realidade paralela.

Neste artigo vamos examinar o sentimento de abandono, veremos exatamente o que é essa percepção irracional da solidão e como ela geralmente se manifesta na vida das pessoas, trazendo consigo um desconforto intenso e persistente.

O que é esse estado psicológico?

O sentimento de abandono consiste em um estado de espírito em que a pessoa demonstra estados de angústia, que são expressos pelo sentimento de que ninguém se importa com você, ou de que é, ou logo será abandonado.

Quando sentimentos de abandono constantemente são experimentados, um estilo de pensamento catastrófico é adotado. Ou seja, em qualquer situação, por mínima que seja, o sujeito pensa que algo ruim está por vir, embora não haja razões objetivas para fundamentar essa crença.

Pensamentos intrusivos tomam conta das mentes das pessoas e fazem com que tenham idéias recorrentes de abandono; por exemplo, “ninguém quer ficar comigo”, “sou indiferente aos outros “,” não tenho nada para oferecer a ninguém “, etc.

A profecia auto-realizável

Embora esses pensamentos não sejam realmente compatíveis com os fatos, algo paradoxal acontece. Quando estamos em um relacionamento e temos uma ideia fixa de que a outra pessoa vai nos deixar a qualquer momento, isso acaba acontecendo.

Não é uma coincidência, muito pelo contrário, é porque as pessoas com sentimentos de abandono tendem a auto-sabotar seus relacionamentos.

Eles se afastam das pessoas com a idéia de terminar o relacionamento antes que o outro o faça, muitas vezes inconscientemente.

As maneiras pelas quais um sujeito inseguro sabota seus relacionamentos têm, em geral, duas polaridades. O primeiro é demonstrar um sentimento de apego muito intenso que acaba alienando o outro, já que ele começa a ter comportamentos muito possessivos.

Outra forma de sabotagem provocada pelo sentimento de abandono é baseado em uma ideia de prevenção exagerada, quando a pessoa que tem medo de ficar sozinha toma a iniciativa e decide deixar a outra pessoa para evitar enfrentar a frustração de serem abandonadas, sem perceber que ele está sendo o arquiteto de seu próprio medo.

Como o sentimento de abandono se manifesta?

Nas próximas linhas, revisaremos como esse sentimento de abandono é expresso.

1. Comportamento Evasivo

As pessoas que temem ser abandonadas freqüentemente mostram comportamentos evasivos diante do contato social , às vezes até com as pessoas mais próximas a elas.

2. Achatamento afetivo

Apesar de estar apenas na aparência, quando o sujeito tem a constante ideia de que as pessoas de seu ambiente não lhe valorizam o suficiente, tem início um padrão de comportamento baseado no achatamento afetivo (indiferença às emoções) e no complexo de inferioridade.

3. Idéias quase delirantes

Esse tipo de ideia tem origem em pensamentos irracionais. Por exemplo, se eu achar que meu parceiro terminará o relacionamento comigo, também começo a moldar esse cenário e imagino como isso acontecerá em detalhes.

4. Pensamento exagerado

Outra das formas mais frequentes de mostrar o medo de ser abandonado é levar as crenças a extremos, de uma forma exagerada. O sujeito que experimenta um sentimento de abandono pensa que, quando a outra pessoa não está o tempo todo demonstrando que a ama, é porque não a quer de forma alguma.

5. Repetir padrões de comportamento

O sentimento de abandono é algo que muitas vezes vem da infância, motivado pelo fato de não ter recebido uma educação afetiva durante os primeiros estágios do desenvolvimento infantil .

Em geral, esse padrão geralmente é repetido de forma geracional. Ou seja, os pais com sentimento de abandono criam seus filhos da mesma maneira, não mostram muito carinho, tanto pelo sentimento de que não receberão o mesmo carinho em troca, ou como uma maneira de fazê-los “mais fortes” contra um mundo hostil .

6. Submissão

O medo do abandono pode suscitar na pessoa atitudes de submissão, especialmente quando acompanhada de um intenso apego afetivo pela outra pessoa. Neste caso, o sujeito é capaz de suprimir suas próprias necessidades em prol do outro.

As pessoas submissas podem até passar por um processo de degradação e ansiedade na tentativa de manter a companhia dos outros e deixar de lado suas próprias opiniões e princípios para agradar o outro.

7. Comportamento obsessivo

Esse padrão de comportamento obsessivo geralmente ocorre de várias maneiras, como por meio do assédio contra outras pessoas.

Um exemplo dessas situações é o chamado “stalking”, que consiste em vasculhar minuciosamente as redes sociais da outra pessoa e coletar informações sobre sua vida pessoal. Outras formas de assédio também podem ocorrer.

Por outro lado, algumas pessoas procuram desesperadamente por soluções mágicas e rápidas para suas angústias e recorrem a pessoas que prometem coisas como “amor eterno”. E essas promessas nem sempre são verdadeiras.

***

Destaques Psicologias do Brasil. Com informações de Psicología y Mente.

Imagem de engin akyurt por Pixabay

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here